LateralMúsica coralProgramaçãoSão PauloTecnologia

Coral Paulistano celebra 85 anos

Um concerto em homenagem a todos os regentes que passaram pelo grupo.

Em formação reduzida, coro se apresenta nesta quarta-feira (10/2), às 18h, em concerto aberto ao público e com transmissão simultânea pelo YouTube do Theatro Municipal; sob a regência de Maíra Ferreira e participação de solistas e do ator Adriano Tunes, repertório vai de Villa-Lobos e Camargo Guarnieri, a Gilberto Mendes, Osvaldo Lacerda, Nélson Ayres, entre outros.

Para a sua primeira apresentação no ano em que comemora 85 anos de história, o Coral Paulistano escolheu um repertório que homenageia todas as regentes e os regentes que passaram pelo corpo artístico ligado ao Theatro Municipal de São Paulo.

A lista é extensa, como Camargo Guarnieri, Fructuoso Vianna, Miguel Arqueróns, Tullio Colacioppo, Abel Rocha, Zwinglio Faustini, Antão Fernandes, Samuel Kerr, Henrique Gregori, Roberto Casemiro, Mara Campos, Tiago Pinheiro, Bruno Greco Facio, Martinho Lutero Galati e Naomi Munakata.

Seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, o concerto desta quarta-feira (10/2), às 18h, será aberto ao público. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia), mas quem estiver em casa também pode acompanhar ao vivo, de graça, pelo canal do Theatro Municipal no YouTube: youtube.com/theatromunicipalsp. E o que é melhor, o conteúdo fica disponível on demand para acesso posterior, a qualquer hora e sem necessidade de cadastro.

Para homenagear alguns dos mais destacados músicos de nosso país que estiveram à frente do coral formado em 1936 por iniciativa de Mário de Andrade, à época com a proposta de trazer a música brasileira para a programação do Theatro Municipal, a batuta estará com Maíra Ferreira, atual regente titular interina.

O espetáculo terá direção cênica de João Malatian, iluminação de Mirella Brandi e participação dos músicos Renato Figueiredo (piano), Pelé Nascimento e Michael Yuri (percussão), e do ator Adriano Tunes.

Os concertos presenciais no Theatro Municipal de São Paulo seguem todos os protocolos de segurança e prevenção à propagação do Coronavírus (Covid-19) e as orientações do Plano São Paulo e da Prefeitura Municipal de São Paulo, para retomada consciente das atividades. Ao público espectador presente na Sala de Espetáculos, é necessário seguir os protocolos de segurança estipulados em nosso Manual do Espectador, disponível no site.

 

PROGRAMA

Heitor Villa-Lobos
Xangô 

Gilberto Mendes
Inspiração

Antônio Ribeiro
Momento 

Ronaldo Miranda
Belo, belo

Nélson Ayres
Mantiqueira
Arranjo de Vicente Ribeiro

Camargo Guarnieri
Vamos Aloanda 

Antônio Ribeiro
Oficina Irritada 

Aylton Escobar
Cinco canções de amor: Flora 

Geraldo Espíndola
Cunhataiporã
Arranjo de Samuel Kerr

Gilberto Mendes
Moteto em Ré menor 

Osvaldo Lacerda
Ofulú Lorêrê

 

Ficha Técnica

Coral Paulistano

Renato Figueiredo, piano

Pelé Nascimento e Michael Yuri, percussão

João Malatian, direção cênica

Adriano Tunes, ator

Mirella Brandi, iluminação

Maíra Ferreira, regência

 

SERVIÇO

Coral Paulistano celebra 85 anos

 Dia 10 de fevereiro, quarta-feira, às 18h

Theatro Municipal de São Paulo (Pça Ramos de Azevedo, s/nº, Sé – próximo à estação do metrô Anhangabaú)

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação etária: Livre

Atenção: não será permitida a entrada de público após o início do espetáculo.

 

Bilheteria: em função da pandemia de COVID-19 a bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo está fechada por tempo indeterminado. A venda de ingressos está sendo feita exclusivamente pelo site do Theatro Municipal de São Paulo: theatromunicipal.org.br.

Transmissões ao vivo e concertos gravados: as transmissões ao vivo e os concertos gravados poderão ser vistos gratuitamente pelo canal de YouTube do Theatro Municipal de São Paulo: youtube.com/theatromunicipalsp

Manual do Espectador e Informações sobre os protocolos sanitários do Complexo Theatro Municipal: consulte os protocolos de segurança do Theatro Municipal no site.

 

 

Teatro Municipal de São Paulo

O edifício do Theatro Municipal de São Paulo é um equipamento cultural localizado na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo. Trata-se de um edifício histórico, patrimônio tombado, intrinsecamente ligado ao aperfeiçoamento da música, da dança e da ópera no Brasil.

Abrange um importante patrimônio arquitetônico, corpos artísticos permanentes e é vocacionado à ópera, à música sinfônica orquestral e coral, à dança contemporânea e aberto a múltiplas linguagens conectadas com o mundo atual (teatro, cinema, literatura, música contemporânea, moda, música popular, outras linguagens do corpo, dentre outras). Oferece diversidade de programação e busca atrair um público variado.

O Patrimônio Theatro Municipal de São Paulo tem implantação retangular, sendo as medidas aproximadas de 92 metros (fachadas leste e oeste), e 42 metros (fachadas norte e sul). Divide-se basicamente em três corpos com funções distintas: o corpo da fachada – vestíbulo, a escada nobre, salão, portaria, restaurante e dependências da administração; a parte central – sala de espetáculo com seus corredores e galerias; o corpo posterior – palco e suas galerias laterais, camarins e salas de artistas.

É composto de 09 (nove) pavimentos, sendo um subterrâneo, 07 (sete) correspondendo aos planos e ordens da ala de espetáculo e/ou administração, e o pavimento referente a cúpula central. Tem área total construída de aproximadamente 17.000m².

 

Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano de 2019 e de 2020, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na capital e região metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim).  O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade.

Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

A Santa Marcelina Cultura assumiu em 1º de novembro de 2020 um Termo de Colaboração emergencial para administração dos objetos culturais vinculados ao Complexo Theatro Municipal de São Paulo.

 

Foto do post: Crédito: Rafael Salvador

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.