Notícia

Contemporâneo e eterno

Morre, no Rio de Janeiro, o compositor e produtor Sérgio Roberto de Oliveira.

 

A música de concerto contemporânea perdeu um de seus mais ativos representantes. O compositor e produtor musical carioca Sérgio Roberto de Oliveira faleceu às 2h40 da madrugada de 19 de julho, após um ano e meio de batalha contra um câncer no pâncreas. O compositor estava internado havia cerca de uma semana, em coma induzido. O velório será no Memorial do Carmo, a partir das 16h do dia 19, até a cremação, que será feita amanhã, às 13h, no mesmo local.

Com atuação intensa na área musical, Sérgio integrava o Prelúdio 21, grupo de compositores que mantém uma série regular de concertos, aos sábados, no Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro. Além disso, estava em cartaz, no CCBB-RJ, com a ópera contemporânea Na Boca do Cão, com libreto de Geraldo Carneiro, estrelado pela cantora lírica Gabriela Geluda e dirigido por Bruce Gomlevsky. O trabalho será lançado em CD pela gravadora A Casa Discos, do próprio compositor, que lançou recentemente os álbuns Paisagens Cariocas, do Duo Santoro; Água-forte, do Duo Grosman-Barancoski; The Biedermeiers, do duo homônimo; e OSN UFF interpreta Compositores de Hoje, da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense, com regência de Tobias Volkmann.

 

Biografia

Nascido em 1970, estudou composição com Guerra-Peixe e Dawid Korenchendler, e era bacharel em composição pela UniRio. Notabilizou-se como um dos compositores mais ativos e executados da música contemporânea brasileira. Sua obra foi amplamente divulgada por grupos como Quarteto Radamés Gnattali, Duo Santoro, Música Nova, GNU, Quarteto Colonial, entre muitos outros.

Na Inglaterra, tinha como intérpretes dois dos grandes músicos do país: o flautista barroco Stephen Preston e o flautista doce John Turner. Preston realizou turnê com a obra Faces e encomendou uma outra: About birds and humans, estreada em Londres (2006). Turner, além de um dos principais flautistas doces da Europa, é editor do catálogo de música contemporânea The Contemporary Recorder, da editora Peacock Press. A editora publicou a obra Expresso, e Turner estreou em Manchester a obra Frevo, que havia encomendado, em concerto promovido por The North West Composers’ Association e The British Academy of Composers and Songwriters. Em 2008, a convite da Embaixada Brasileira em Londres, realizou concerto-palestra, lançando o seu CD Sem Espera, indo em seguida a Manchester, para uma palestra-concerto na University of Salford.

Nos Estados Unidos, a obra de Oliveira era divulgada desde 1999. Foram dezenas de concertos e encomendas por grupos como o Mélomanie, Ciompi Quartet, Tracy Richardson, Susan Fancher, Tom Moore, entre outros. Neste país, Oliveira tinha as obras Faces e Mot pour Laura publicadas pela editora Falls House Press. Vários artigos em revistas especializadas e sites citaram o compositor, como The Flutist Quarterly (Circus Brasilis – The flute music of Sergio Roberto de Oliveira), Early Music America (Something New for Early Music), site Andante (The heirs of Villa-Lobos), 21st Century Music, musicabrasileira.org, etc. Sergio Roberto foi convidado constantemente para palestras em universidades norte-americanas, já tendo proferido mais de uma dezena delas em universidades como Princeton e Duke, Em 2009 foi Artist-in-Residence na mesma Duke University.

Seu grupo de compositores, Prelúdio 21, é um dos mais ativos do mundo. Tem tido destaque no cenário da música contemporânea brasileira, atuando há 17 temporadas ininterruptas, tendo desde 2008 uma série permanente de concertos mensais. Em 2011 o grupo lançou o CD Quartetos de Cordas, com interpretação do Quarteto Radamés Gnattali.

Atuou como produtor executivo – destaque para a coordenação da produção dos eventos de música erudita do Festival de Inverno do Sesc de 2005, Strange News (obra multimídia norueguesa) –, produtor fonográfico (Selo A Casa Discos) e produtor musical (destaque para o CD Da Boca Pra Dentro, indicado para o prêmio Rival Petrobras de Música Brasileira). Atuou como coordenador de produção e diretor artístico do projeto O Piano de Guerra-Peixe (CD duplo e concertos nas cinco regiões do Brasil).

Sérgio Roberto  se dedicou intensamente na difusão de sua obra e da música de concerto carioca. Produziu e lançou inúmeros títulos neste segmento, como os CDs do Quinteto Lorenzo Fernandez, Trio Capitu, os dois do Duo Santoro, Cristiano Alves, Ayran Nicodemo, Ricardo Tacuchian, The Biedermeiers, Duo Bretas-Kevorkian, GNU, Orquestra Sinfônica Nacional, escrevendo obras para a maioria destes. Mesmo bastante debilitado, produziu os discos Trio Paineiras interpreta Compositores de Hoje – no qual participa com sua música Paineiras, e que chega ao mercado neste mês de julho – e o CD de estreia do Harmonitango, com lançamento previsto para outubro.

Publicada nos EUA, Inglaterra e Alemanha, sua música já foi executada em oito países, tendo sido convidado com frequência para palestras sobre sua obra no Brasil e no exterior. No campo da música para cinema, lançou em 2014 o curta Ao Mar, e compôs a trilha para os filmes Alla Prima e A Dívida, sendo indicado com o último no Festival Internacional de Cinema de Madri na categoria Melhor Música para Filme e no International Filmmaker Festival of World Cinema de Milão na categoria Melhor Trilha Sonora. Oliveira era ainda membro do grupo de compositores Vox Novus, baseado em Nova York, e da Academia Latina de Artes e Ciência da Gravação.

 

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com