LateralMúsica de câmaraNotíciaRio Grande do SulTecnologia

“Casa da Música na sua casa” traz Hugo Pilger

A Casa da Música Poa, espaço cultural consagrado há 11 anos em Porto Alegre, é reconhecida por promover em quase todos os finais de semana do ano recitais de música clássica. A fim de mostrar que, tomando todos os cuidados, a cultura e a arte não param mesmo em meio à pandemia, a Casa lançou uma série de recitais virtuais com diversos músicos e musicistas nacionais e da América Latina.

Para manter aquecido o mês de agosto com novidades artísticas, o projeto de recitais virtuais CASA DA MÚSICA NA SUA CASA segue levando através das redes sociais apresentações musicais para a casa de cada espectador. São interpretações com cantores e instrumentistas brasileiros e internacionais.

No domingo, 2 de agosto, às 19h, o violoncelista Hugo Pilger interpreta o programa:

José Orlando Alves
Haicai I: adágio para as vítimas de uma pandemia

Francis Hime e Ruy Guerra
Minha

João Guilherme Ripper
Sea Song 

 

As apresentações dos recitais CASA DA MÚSICA NA SUA CASA seguem tendo novas estreias regularmente, sempre nos domingos, às 19h, e podem ser acompanhadas pelas redes sociais do espaço cultural.


Acompanhe os recitais nas redes sociais da Casa da Música Poa:

– Facebook: https://pt-br.facebook.com/CasadaMusicaPoa/

– Instagram: https://www.instagram.com/casadamusicapoa/

– Youtube: https://www.youtube.com/user/casadamusicapoa

 

Hugo Pilger

Doutor em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Hugo Pilger (Porto Alegre-RS, 1969) iniciou seus estudos de violoncelo na Fundarte (Fundação de Artes de Montenegro-RS) com Milton Bock. Em 1987, passou a estudar no Rio de Janeiro com Márcio Malard e, em 1994, na classe do professor Alceu Reis, onde se formou com nota máxima no curso de Bacharelado em Instrumento Violoncelo da UNIRIO, instituição na qual concluiu seu Mestrado em Música em 2012 e Doutorado em Música em 2015.

Como solista, apresentou-se à frente de várias orquestras, dentre elas: Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Ouro Preto, Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

Realizou turnês em diversos países da Europa, América do Sul e do Norte. Em 2006, fez a estreia no Brasil da importante obra para violoncelo e orquestra Tout un Monde Lointain, do compositor francês Henri Dutilleux, e, em 2009, a estreia sul-americana do concerto para violoncelo e orquestra Pro et Contra, do compositor estoniano Arvo Pärt.

Das obras que lhe foram especialmente dedicadas, destacam-se: Sonata nº 2 para Violoncelo Solo, de David Ashbridge, Orégano, de Ricardo Tacuchian e Meloritmias nº 10, de Ernani Aguiar, Haicai I: Adágio para as vítimas de uma pandemia, de José Orlando Alves, Serenata pro Pilger, de Maurício Carrilho, Reflexões sobre a Ostra e o Vento, de Wagner Tiso, O Golpe, de Felipe Radicetti, Esferas, de Paulo Francisco Paes, Concerto para violoncelo e orquestra (2013), de Ernst Mahle e Sortilégios, de Marcos Lucas.

É membro do Trio Porto Alegre e professor da classe de violoncelo da UNIRIO. Destacam-se, dentro de sua discografia, o CD Hugo Pilger interpreta Ernani Aguiar (“Melhor Intérprete Erudito” e “Melhor Álbum Erudito” no Prêmio Açorianos de Música 2015/2016 de Porto Alegre-RS) e o CD duplo, DVD e Blu-Ray gravado com a pianista Lúcia Barrenechea, intitulado Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano, que contém o primeiro registro do violoncelo que pertenceu ao compositor Heitor Villa-Lobos, um Martin Diehl de 1779, projeto finalista do Prêmio da Música Brasileira de 2015.

Em 2017, lançou o CD Ernst Mahle, a integral para violoncelo e piano gravado com o pianista Guilherme Sauerbronn (“Melhor Intérprete” para Hugo Pilger, “Melhor Compositor” e “Melhor Álbum Erudito” no Prêmio Açorianos de Música 2017-2018) e o com a pianista Lúcia Barrenechea, o volume II do Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano, projeto indicado ao Prêmio Açorianos de Música 2016/2017 como “Melhor Álbum Erudito” e “Melhor Intérprete Erudito” para Hugo Pilger. Finalmente, lançou em 2020 o álbum Claudio Santoro: a obra integral para violoncelo e piano gravado com o pianista Ney Fialkow.

Recebeu o “Prêmio Profissionais da Música 2018” na categoria “Instrumentista Erudito”. É autor do livro Heitor Villa-Lobos, o violoncelo e seu idiomatismo.

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.