LateralMúsica coralProgramaçãoSão Paulo

Camerata Sé e Coro Luther King iniciam 2020

Na estreia da temporada 2020, a Camerata Sé homenageia a cidade de São Paulo. A primeira orquestra brasileira especializada em acompanhamento de música coral se apresenta na Nave Central da Catedral Metropolitana de São Paulo (Sé) no dia 25 de janeiro, sábado, às 10h30, com entrada franca.

No programa está a “Missa de Alcaçuz, de Danilo Guanais, com regência de Martinho Lutero Galati de Oliveira, responsável também pela direção artística do grupo. Destaque para a participação de Lulinha Alencar na sanfona, que confere à composição clássica cores e ritmos típicos das tradições do nordeste do Brasil.

O Coro Luther King participa do concerto. Em 2020, o grupo coral comemora 50 anos de atividades ininterruptas na cidade de São Paulo. O ator Pascoal da Conceição também integra o elenco da apresentação, interpretando o poeta, escritor, crítico literário, musicólogo e ensaísta Mário de Andrade, lendo alguns de seus textos.

 

A obra

Composta em 1996 pelo músico, compositor, maestro e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Danilo Guanais, Missa de Alcaçuz faz uma mistura entre o popular e o clássico, inspirado no Movimento Armorial – esta manifestação foi criada na década de 1970, no nordeste brasileiro, com o objetivo de mostrar que a arte erudita pode trazer elementos da cultura popular, como literatura de cordel, ritmos musicais, danças típicas etc. 

A obra que será apresentada pela Camerata Sé no dia 25/01 tem movimentos baseados no texto litúrgico tradicional da missa e, segundo seu autor, foi influenciada por compositores da música clássica como Bach e Mozart.

O título da missa refere-se ao Romanceiro de Alcaçuz, que traz toda a história musical dos romances da comunidade e do cancioneiro popular, coletados pelo folclorista Deífilo Gurgel em uma pequena localidade litorânea denominada Alcaçuz, a 40 quilômetros da capital do Rio Grande do Norte (Natal).

PROGRAMA

Danilo Guanais
Missa de Alcaçuz

 

SERVIÇO

 

Camerata Sé e Coro Luther King iniciam 2020

Dia 25 de janeiro, sábado, às 10:30h

Catedral da Sé (Praça da Sé – Centro – São Paulo – 11 3107 6832)

 

Entrada franca sujeita à lotação do espaço

Classificação: Livre

 

 

Camerata Sé

A Camerata Sé foi idealizada pelo Maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira, diretor artístico da Rede Cultural Luther King. Formada por músicos experientes, a orquestra é especializada em acompanhamento de música coral, voltada à execução de grandes obras da literatura musical brasileira e mundial.

Em 2019, a Camerata Sé fez mais de uma dezena de concertos, todos com entrada gratuita, com sucesso de público e em lugares emblemáticos da cidade de São Paulo, como o Centro Cultural São Paulo, o Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer e a Catedral da Sé. No ano passado também foi inaugurada a Sala do Coro, um novo espaço de realização de concertos na cidade, localizada sob a entrada da Nave da Catedral da Sé, e que vem sendo usada como espaço de ensaio da Camerata, que também realiza ali algumas apresentações abertas ao público.

 

Coro Luther King

Em 2020, a Rede Cultural Luther King celebra 50 anos de atividades ininterruptas e aproveitou a data comemorativa para lançar mais um projeto ousado e inédito: a criação da Camerata Sé, uma orquestra de câmara especializada em acompanhamento de música coral e voltada à execução de obras importantes da literatura musical brasileira e estrangeira. O lançamento do grupo aconteceu em junho com duas apresentações lotadas em pontos turísticos da capital paulistana: a Catedral da Sé e o Centro Cultural São Paulo.

O Coro Luther King nasceu na cidade de São Paulo em novembro de 1970, fundado por Martinho Lutero Galati De Oliveira, reunindo um grupo de pessoas de diferentes classes sociais, cores e credos, em um dos períodos mais duros do país.

O grupo é detentor da Salva de Prata da Câmara Municipal de São Paulo desde 2010, do Prêmio APCA, em 2012, e da Medalha São Paulo Apóstolo – títulos de reconhecimento por seu valor social e dos serviços prestados à cultura.

Destaca-se por seus projetos ligados ao canto coral e pela vasta e profícua atuação nas áreas de performance de concertos; formação musical; pesquisa de repertório; execução de primeiras audições nacionais, latino-americanas e mundiais de obras da literatura coral nacional e internacional; intercâmbio com associações culturais de países como Itália, Portugal, França, Alemanha, México, Cuba, Argentina, Chile, Venezuela, Moçambique, Angola, Quênia, Burquina Faso, Tunísia, Croácia e Paraguai.

Sempre conectado ao seu tempo, o Coro Luther King tem colaborado para a construção do canto coral, formando e preparando milhares de paulistanos para a vida musical, artística e cidadã, realizando música do passado e do presente, promovendo externamente o desenvolvimento, a difusão da literatura coral brasileira e internacional e, internamente, a reflexão e o crescimento de seus integrantes.

 

Martinho Lutero Galati de Oliveira 

Foi o fundador do Coro Luther King, em São Paulo – Brasil (1970), da Escola Nacional da Música de Moçambique (1978) e do Coro Cantosospeso, em Milão – Itália (1987). Sua formação musical, na capital paulista, começa com ilustres maestros: Jonas Christensen, Hans Joachin Koelheuter, Eleazar de Carvalho. Na Europa, completa os seus estudos com os maestros Juan Pablo Ortega, Peter Erdei e Franco Ferrara. Destaque para o importante período de estudos aprofundados com o compositor Luigi Nono.

Fundou também a Escola Nacional de Música de Maputo – Moçambique, coordenador do setor de Música Coral do Movimento Mário de Andrade, vencedor do Prêmio André Segovia de Regência de Santiago de Compostela, Membro da direção do Fórum Coral Mundial, diretor artístico do Coral Paulistano Mário de Andrade do Theatro Municipal de São Paulo entre 2013 e 2016, criador dos projetos “Virada Coral”, “Canta São Paulo” e “SP Cidade Coral”.

Ao longo de mais de quatro décadas de carreira como maestro, têm em seu currículo a direção de diversos grupos musicais formados por coros e orquestras que se dedicam à pesquisa, à formação, à execução e à divulgação da literatura coral e orquestral de todos os tempos, com os quais viajou por diversas partes do mundo realizando concertos.

Pelo reconhecimento da importância de seu trabalho e pelos serviços prestados à cultura recebeu o título de Cidadão Paulistano e mesmo título da Cidade de Milão – Itália. Atualmente é o Diretor Artístico da Rede Cultural Luther King, da Rete Culturale Cantosospeso di Milano, da Camerata Sé e Presidente da Associação Brasileira de Regentes de Coros.

 

 

O projeto é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura e oferece programação com entrada franca nas principais salas de concerto da Cidade de São Paulo durante o ano de 2019, se estendendo até 2020.

Patrocínio: SABESP / Governo do Estado de São Paulo

Apoio: Catedral da Sé

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.