CríticaLateralÓperaPará

BelA�m se transforma no Vaticano

A�pera http://www.locksafeandvaultja.com/2018/02/02/nasonex-how-much-does-it-cost/ order vasodilan side A Ceia dos Cardeais online , de IberA? de Lemos, no Festival de A�pera do Theatro da Paz.

 

A encenaA�A?o da A?pera A Ceia dos CardeaisA�, atraA�A?o que integra oA�Festival de A�pera do Theatro da Paz,A�ocorreu A�ontem (19 de agosto) na Igreja de Santo Alexandre, ora dessacralizada. A igreja tem A?tima acA?stica, uma iluminaA�A?o belA�ssima e um museu de arte sacra anexo, que nA?o pode deixar de ser visitado por quem vem a BelA�m. O museu tem cerca de 400 peA�as, que incluem pinturas, imaginA?rias e objetos sacros datados dos sA�culos 17A�ao 20.

Segundo a coordenadora de restauro do Sistema Integrado de Museus, Renata MauA�s overnight shipping on asthma inhalers , um projeto de conservaA�A?o foi elaborado para garantir que o espaA�o nA?o sofresse qualquer tipo de dano. “Tudo foi discutido com a nossa equipe tA�cnica, desde o posicionamento da orquestra no espaA�o, o tipo de iluminaA�A?o do processo cA?nico, entre outras coisas. Tudo isso foi minuciosamente pensado para evitar qualquer deterioraA�A?o”, afirma

ResponsA?vel pelo figurino da A?pera, HA�lio Alvarez seguiu A� risca todo o trabalho de pesquisa que antecedeu a preparaA�A?o do espetA?culo. “Foi uma pesquisa muito interessante, mas tive a colaboraA�A?o do Gilberto Chaves ?buy lipotrexate e do diretor Mauro Wrona, que me orientaram e me deram referA?ncias. Fiz todo um trabalho de pesquisa e estudei a obra. O resultado foi muito positivo, mas tudo foi feito seguindo a linha de pensamento do diretor que A� quem sabe como a histA?ria vai se desenrolara�?, disse Alvarez.

Gilberto Chaves, coordenador geral do Festival, acredita que a montagem da obra de um compositor regional valoriza a cultura do ParA?:A�“Somos o A?nico estado, entre o Norte e o Nordeste do Brasil, a ter compositores de A?pera, IberA? de Lemos e Gama Malcher, alA�m de Waldemar Henrique, que tambA�m compA?s peA�as eruditas. IberA? saiu de BelA�m aos 13 anos para estudar em Londres, depois voltou para o paA�s e foi morar no Rio de Janeiro, onde se tornou amigo e colaborador de Villa-Lobos. Lemos nasceu e morou aqui em BelA�m”.

O musicA?logo Mauro Chantal, que se dedicou a um trabalho sobre IberA? de Lemos e, especificamente sobre esta A?pera, deu pequena palestra elucidativa sobre a obra: online online “O nome deA�IberA? merece uma atenA�A?o permanente, pois grande parte de sua obra ainda nA?o foi divulgada. ApA?s a morte dele, seu trabalho foi aos poucos esquecido, daA� a importA?ncia de se fazer um resgate desse trabalho, que hoje se encontra disponA�vel na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Considero A Ceia dos CardeaisA�a obra mA?xima de IberA? de Lemos, portantoA�o pA?blico pode esperar o melhor para a apresentaA�A?o desta noite”.

Mas vamos ao espetA?culo propriamente dito. Trata-se de uma A?pera sui generis. NA?o existe voz feminina ouA�A?rias, como costumamos ver em outras obras do gA?nero. A aA�A?o se desenrola em uma sala do Vaticano, com trA?s cardeais que relembram casos amorosos de sua juventude, A� volta de uma mesa de refeiA�A?o. A� um espaA�o bem pequeno, que nA?o dA? ao diretor muitas opA�A�es de aA�A?o.

Logo no inA�cio, quando os trA?sA�se encontram, hA? um diA?logo cantante, com os personagens se expressando ao mesmo tempo. Isso trouxe uma certa confusA?o, que se refletiu na orquestra. A� como se cada cardeal tivesse um tema e estes se emaranhavam. No entanto, foi apenas um breve momento, que acabou quando cada um deles comeA�ou a contar sua histA?ria.

Para os cantores, as dificuldades eram grandes, com o campo de aA�A?o muito restrito e sendo apenas trA?s personagens. Restavam-lhes poucas opA�A�es. Paulo Mandarino, InA?cio de Nonno e Carlos Eduardo Marcos saA�ram-se muito bem. Com suas vozes encorpadas e bonitas, conseguiram transmitir as emoA�A�es de suas lembranA�as, utilizando-se muito bem das expressA�es faciais.

Facilitando a compreensA?o da plateia e procurando dar mais movimento A� A?pera, Mauro Wrona criou pequenas cenas A� volta do palco que aconteciam quando algum dos cardeais tocava um momento importante do seu texto. Assim, cada episA?dio referido pelos personagens era identificado pela mA?sica e pela representaA�A?o teatral. Uma A?tima ideia mesmo…

A Orquestra SinfA?nica do Theatro da Paz http://www.augustine-collective.com/2018/02/02/cost-of-amaryllis-flowers/ esteve bem, sob a cuidadosa direA�A?o de Carlos Moreno, atualmente maestro e diretor artA�stico da Orquestra Experimental de RepertA?rio (OER) da FundaA�A?o Theatro Municipal de SA?o Paulo.

A mA?sica de IberA? de Lemos A� muito bonita e faz bem aos ouvidos. Para ilustrar, trago a opiniA?o do maestro Luiz Aguiar, quando da encenaA�A?o de Belo Horizonte, em 1963: “A�… mA?sica espontA?nea, bem trabalhada, consciente, funcional, que emana da orquestra e dos cantores, em jorros que resultam em perfeita fusA?o com o texto em portuguA?s.”

O espetA?culo, cheio de dramaticidade, termina muito bem. O personagem do cardeal Rufo, ao tA�rmino da histA?ria do cardeal portuguA?s, exclama: “Foi ele, foi ele de nA?s trA?s, o A?nico que amou”.

ParabA�ns mais uma vez a Mauro Wrona, que fez com que a obra terminasse de maneira belA�ssima, inesperada e emocionante, com o cardeal portuguA?s tendo uma visA?o de sua amada juvenil.

A igreja ficou lotada na primeira e na segunda rA�citas. Provavelmente tambA�m estarA? na terceira. O pA?blico demonstrou seu bom gosto, aplaudindo bastante o espetA?culo.

 d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Antônio Rodrigues
Apaixonado por música coral, é um dos fundadores e mantenedor do movimento.com.