LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

Beethoven – Trio de cordas – no BNDES

Em comemoração aos 250 anos de anos de nascimento de Ludwig van Beethoven, três dos quatro integrantes do já consagrado e premiado Quarteto Bessler, se reúnem para executar os Trios para cordas de Beethoven. Obras de grande envergadura, virtuosismo extremo, que unem a simplicidade a uma profundidade musical somente encontrada nos grandes gênios da história da música.

Beethoven, que é mais conhecido popularmente, pelas suas sinfonias, bem antes de iniciá-las, compôs, aos 28 anos, uma série de geniais Trios de Cordas, que revelam sua grandeza e plenitude.

O concerto inclui dois dos mais representativos desses trios, obras muito executadas e apreciadas pelo público habituado com as salas de concerto e música de câmara, porém, pouco presente nos palcos brasileiros.

A sonoridade dos trios tem uma particularidade, peculiar a esse conjunto minimalista, mas é grandioso no seu conteúdo musical e na substância emocional que permeia toda obra. Surpreende pelo resultado sonoro e impressiona pelo completo espectro harmônico, melódico e tímbrico para essa formação.

 

PROGRAMA

Ludwig van Beethoven
Trio para violino, viola e violoncelo em Dó Menor Op. 9 nº 3 
– Allegro con spirito
– Adagio con espressione
– Scherzo: Allegro molto e vivace
– Finale: Presto

Ludwig van Beethoven
Trio para violino, viola e violoncelo em Ré Maior Op. 9 nº 2 
– Allegretto
– Andante quasi Allegretto
– Menuetto: Allegro
– Rondo: Allegro

 

SERVIÇO

 

Beethoven – Trio de cordas – no BNDES


Dia 29 de janeiro, quarta feira, às 19h


Auditório do BNDES (Av. Chile, 100 – Centro – Rio – 2172 7447)


Entrada franca  

 

 

Bernardo Bessler – violino

Violinista com uma intensa carreira de camerista em turnês e festivais pela Europa, Japão, América do Norte e do Sul. Com uma longa e bem sucedida atuação como produtor, professor, regente. Músico eclético atuou em gravações para cinema, TV, teatro, CD, com artistas de todos os estilos como Nélson Freire, Eugene Fodor, Jacques Klein, Caetano Veloso, Tom Jobim, RPM, Cássia Éller, Maria Bethânia, Robert Plant, Henri Salvador e centenas de outros.  Integra o Quarteto Bessler, fundado em 1976, cuja reputação transcende as fronteiras nacionais.

 

Christine Springuel – viola

Despontou aos nove anos de idade quando tocou seu primeiro concerto como solista com orquestra. Seguiu-se uma intensa carreira como camerista e solista com as mais importantes orquestras da Europa e Ásia. Atuou sob a direção de regentes como Irwin Hoffman, Theodor Guschlbauer, Sérgio Commissiona, Antoni Ros-Marbá, Roger Norrington, Steward Bedford e ao lado de artistas como Salvatore Accardo, J. Jacques Kantorow e Antônio Menezes. Ocupou o lugar de viola-solo da Netherlands Chamber Orchestra. Discípula de André Gertler e Maurice Raskin, formou-se pelo conservatório Real de Bruxelas – onde veio a lecionar – e aperfeiçoou-se na prestigiada Chapelle Musicale Reine Elisabeth.  Integra, também, o Quarteto Bessler.

 

Marcus Ribeiro – violoncelo

O violoncelista brasileiro frequentou, a convite de Antônio Menezes, a seleta classe de Menezes na Musikakademie Basel, Suíça, onde titulou-se Mestre. Atuou como camerista em diferentes grupos na Europa, tais como a Zurcher Kammerorchester e a Camerata Stuttgart. Realizou concertos em países como Alemanha, Suíça, Itália, Espanha, Portugal e França, além de se apresentar nos festivais internacionais de Campos do Jordão, Áustria e Eslováquia.

Marcus Ribeiro também transita no universo popular ao lado de vários intérpretes da MPB em gravações, shows e turnês no Brasil e no exterior. Atualmente atua na Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra Johann Sebastian Rio, Quarteto Bessler e do ABSTRAI ensemble e é frequentemente convidado pelas principais orquestras brasileiras como a Filarmônica de Minas Gerais entre outras.

 

Crédito da Foto –  Fernanda Donato

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.