Balé/DançaProgramaçãoSão Paulo

BalA� da Cidade de SP com a OSM e Quarteto de Cordas

BalA� da Cidade de SA?o Paulo reapresenta trA?s coreografias de sucesso de pA?blico: Cantares, Abrupto e Cacti.

ApA?s uma temporada de 35 dias na Europa, o BalA� da Cidade de SA?o Paulo retorna ao Brasil para a reapresentaA�A?o de trA?s coreografias de grande sucesso de pA?blico. Cantares, do argentino Oscar Araiz; Abrupto, do brasileiro Alex Soares, em colaboraA�A?o com os bailarinos; e Cacti, do sueco Alexander Ekman, tomam conta do palco do Theatro Municipal de 30 de marA�o a 3 de abril. As apresentaA�A�es abrem a sA�rie de quatro temporadas da companhia no municipal.

Todas as coreografias serA?o acompanhadas por 111 mA?sicos da Orquestra SinfA?nica Municipal (OSM), sob a regA?ncia do maestro residente Eduardo Strausser generic dilantin Purchase . “O pA?blico sempre volta para ver mais uma vez essas peA�as. SA?o obras musicais muito diferentes que vA?o encantar a OSM e o maestro Eduardo,A�que vai reger pela primeira vez um espetA?culo do balA�”, afirma a diretora artA�stica da companhia, Buy Iracity Cardoso. Para Strausser, “a mA?sica interpretada ao vivo celebra um espetA?culo em que os corpos estA?veis do Theatro Municipal convergem para o objetivo comum de trazer emoA�A?o e sensibilidade ao pA?blico paulistano”.

Ainda no mesmo programa, Cacti terA? a participaA�A?o especial do Quarteto de Cordas da Cidade de SA?o Paulo. O grupo faz a abertura e o fechamento da obra com os mA?sicos Betina Stegmann (violino), NA�lson Rios (violino), Marcelo JaffA� (viola) e Robert Suetholz (violoncelo). Segundo o mA?sico Marcelo JaffA�, esta A� uma peA�a intensa que exige muita interaA�A?o entre os grupos. As mA?sicas sA?o dos compositores clA?ssicos Joseph Haydn (austrA�aco), Ludwig van Beethoven (alemA?o) e Franz Schubert (austrA�aco). “Amadurecemos os gestos, tanto musicais quanto fA�sicos, e a expectativa A� a de um conjunto mais fluente e expressivo“, explica.

As apresentaA�A�es do balA� de quarta a sA?bado (30/3 a 2/4) comeA�am A�s 20h. JA? no domingo (3/4), o espetA?culo comeA�a mais cedo, A�s 17h. Os valores variam de R$ 25 a 90 (com meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pA?blica e estudantes).

Em 2016, o pA?blico do BalA� da Cidade de SA?o Paulo poderA? conferir quatro programas do grupo no palco do Municipal. Na programaA�A?o estA?o reapresentaA�A�es de coreografias de sucesso do repertA?rio da companhia e ainda trA?s estreias mundiais – Corpus, de AndrA� Mesquita; TitA?, de Stefano Poda; e SuA�te Quebra-Nozes, de Alex Soares.

 

COREOGRAFIAS Pills

Em Cantares, a danA�a faz referA?ncia ao universo feminino e hispA?nico. A� a expressA?o de nove mulheres que carregam a mais profunda essA?ncia do espA�rito feminino. A� o grito da mulher, no caso a espanhola, mas que traz dentro de si a universalidade. A peA�a foi criada, em 1982, para o Ballet du Grand ThA�atre de GenA?ve e remontada para o BalA� da Cidade de SA?o Paulo. Os movimentos sA?o executados ao som da composiA�A?o RapsA?dia Espanhola de Maurice Ravel.

Abrupto_BCSP_foto02_Sylvia_Masini---250JA? Abrupto., elaborada para a companhia em setembro de 2013, retrata o impulso irracional e os seus desdobramentos, como o estado de esgotamento, liberaA�A?o e ampliaA�A?o de consciA?ncia daquilo que ocorreu. A coreografia A� ambientada por duas mA?sicas contrastantes compostas em A�pocas distintas pelo estoniano Arvo Part.

Cacti_foto02_sylvia_masini---250Por A?ltimo, o pA?blico terA? a oportunidade de assistir novamente Cacti, do jovem e premiado coreA?grafo sueco Alexander Ekman. Durante 30 minutos, os movimentos abordam a observaA�A?o da arte e a necessidade de analisA?-la e entendA?-la. “Eu acredito que nA?o hA? caminho certo e que todos podem interpretar e vivenciar a arte do jeito que quiserem. Talvez seja apenas um sentimento que nA?o pode ser explicado ou talvez o que a mensagem A� seja algo muito A?bvio“, explica Ekman. Cacti foi montada pela primeira vez pelo Netherlands Dance Theater, em 2010, no Lucent Danstheater, em Haia, na Holanda.

 

ARTISTAS ENVOLVIDOS

Cantares
Coreografia e Desenho de Luz: Oscar Araiz
MA?sica: Maurice Ravel – RapsA?dia Espanhola
Remontagem: AndrA�a Maia
Assistentes de Coreografia: KA?nia Genaro, Suzana Mafra
Figurinos Originais: Carlos Cytrynowski
RecriaA�A?o de Figurino: Madalena Machado

 

Abrupto
Coreografia: Alex Soares em colaboraA�A?o com os bailarinos
MA?sica: Arvo PA�rt
Desenho de Luz: Alex Soares
Figurino: Cassiano Grandi
Assistente de Coreografia: KA?nia Genaro, Suzana Mafra


Cacti

Coreografia e Figurinos: Alexander Ekman
MA?sica: Joseph Haydn, Ludwig van Beethoven, Franz Schubert
CenA?rio: Alexander Ekman e Tom Visser
Desenho de Luz: Tom Visser
Textos: Spenser Theberge
Remontagem: Nina Botkay
Assistentes de Coreografia: Kenia Genaro, Suzana Mafra
ConfecA�A?o de Figurino: Madalena Machado

 

BalA� da Cidade de SA?o PauloA�

O BalA� da Cidade de SA?o Paulo foi criado em 7 de fevereiro de 1968, com o nome de Corpo de Baile Municipal. Em 1974, sob a direA�A?o AntA?nio Carlos Cardoso, a companhia assumiu o perfil de danA�a contemporA?nea que mantA�m atA� hoje. A partir daA�, tornou-se presenA�a destacada no cenA?rio da danA�a sul-americana, marcando A�poca por inovar a linguagem e mostrar ao pA?blico um elenco afinado.

Em 25 de setembro de 1981, passou a se chamar BalA� da Cidade de SA?o Paulo. A bem sucedida carreira internacional da companhia teve inA�cio com sua participaA�A?o na Bienal de DanA�a de Lyon, FranA�a, em 1996. Desde entA?o, suas turnA?s europeias tA?m sido aclamadas tanto pela crA�tica especializada quanto pelo pA?blico de todos os grandes teatros onde se apresenta consagrando-a no cenA?rio mundial da danA�a.

Desde 2001, a atuaA�A?o do BalA� da Cidade de SA?o Paulo se estende tambA�m em programas de formaA�A?o de plateia e de aA�A�es culturais paralelas, principalmente em mostras didA?ticas pela cidade de SA?o Paulo, partilhando seu patrimA?nio artA�stico com a populaA�A?o da cidade. A longevidade do BalA� da Cidade de SA?o Paulo, o rigor e padrA?o tA�cnico de seu elenco e equipe artA�stica, atraem os mais importantes coreA?grafos brasileiros e internacionais interessados em criar obras para seus bailarinos e artistas.

RESUMO – 48 ANOS – 1968-2016
207 obras coreogrA?ficas no repertA?rio
168 criaA�A�es originais para o BCSP
39 remontagens de obras criadas para outras companhias
27 remontagens de obras do repertA?rio do BCSP
33 criaA�A�es originais e 03 remontagens da Cia 2
27 participaA�A�es em A?peras
96 obras criadas em mostras de coreografia
7 obras criadas em mostras e incorporadas ao repertA?rio
58 premiaA�A�es
17 paA�ses visitados em 20 anos de turnA?s internacionais
78 cidades na Europa, A?sia, Oriente MA�dio,A� AmA�rica do Sul e AmA�rica do Norte
18 bailarinos convidados
337 bailarinos

 

Iracity Cardoso Pills (diretora artA�stica do BalA� da Cidade de SA?o Paulo)

Formada pela Escola de DanA�a de SA?o Paulo, teve sua primeira experiA?ncia internacional como bailarina em 1964/67, na Alemanha, FranA�a e MA�xico. Foi professora do Ballet Stagium.A� Em 1980, foi assistente de direA�A?o e bailarina no Ballet Du Grand Theatre de Genebra. Oito anos depois, tornou-se Diretora ArtA�stica Adjunta. Depois de 1996, passou a trabalhar como Diretora ArtA�stica do Ballet Gulbenkian em Portugal. Retornou ao Brasil e, em 2006/07, assumiu o posto de Assessora de DanA�a da SMC de SP, onde reativa o Centro de DanA�a da Galeria Olido. De 2008 a 2012, atuou como Diretora ArtA�stica Fundadora da SA?o Paulo Companhia de DanA�a. Desde 2013, A� diretora ArtA�stica do BalA� da Cidade de SA?o Paulo.

 

Eduardo Strausser (regente residente da OSM)

Desde agosto de 2014, Eduardo Strausser A� assistente do maestro John Neschling e regente residente do Theatro Municipal de SA?o Paulo. Nesta temporada, Strausser regerA? La Boheme, de Puccini; Elektra, de Richard Strauss; e Fosca, de Carlos Gomes. No Theatro Municipal de SA?o Paulo, dirigiu grandes artistas, como Gregory Kunde, Vitalij Kowaljow, Andrei Bondarenko, Lana Kos e Svetlana Aksenova.

Regeu orquestras como a Kurpfalzischen Kammerorchester, de Mannheim, a Orquestra SinfA?nica de Berna, a Sudwestdeutsche Philharmonie de Konstanz, a Berliner Camerata e o Festival de Cordas de Lucerna; com a Meininger Hofkapelle, dirigiu A Flauta Magica, de Mozart. Este ano, Strausser faz seu debut com a Orchestra Filarmonica del Teatro La Fenice, de Veneza, e no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. RetornarA? a Berliner Camerata e ao Teatro Verdi de Padova. Entre 2012 e 2014, foi diretor artA�stico da Orchesterverein Wiedikon e da Kammerorchester Kloten, em Zurique.

Nascido em SA?o Paulo em 1985, Strausser estudou na Zurcher Hochschule der Kunste, onde recebeu com distinA�A?o os tA�tulos de mestre e especialista na classe do renomado Professor Johannes Schlaefli. Em 2007, passou o verA?o em Kurten, Alemanha, onde estudou anA?lise e interpretaA�A?o com Karlheinz Stockhausen. Participou de masterclasses com Bernard Haitink e David Zinman, na SuA�A�a, e com Kurt Masur, em Nova York. Em 2008, foi selecionado para participar do prestigiado FA?rum Internacional de Regentes do Ferienkurse fur Neue Musik em Darmstadt, onde teve a oportunidade de trabalhar com compositores como Gyorgy Kurtag e Brian Ferneyhough.

 

Quarteto de Cordas da Cidade de SA?o Paulo

Betina Stegmann – violino

Nascida em Buenos Aires, Betina comeA�ou os estudos de violino em SA?o Paulo com Lola Benda, continuando-os com Erich Lehninger. Diplomou-se pela Escola Superior de MA?sica de ColA?nia, onde cursou a classe de violino de Igor Ozim e a classe de mA?sica de cA?mara do Quarteto Amadeus.A� Seguiu logo apA?s para Israel, onde se aperfeiA�oou com Chaim Taub em Tel Aviv. Mais tarde, frequentou cursos ministrados por Pinchas Zukerman e Max Rostal.A� Como recitalista e solista, apresentou-se em vA?rias cidades do Brasil, Argentina, ItA?lia, Alemanha, Estados Unidos e BA�lgica. Realizou gravaA�A�es nas rA?dios WDR (Alemanha) e na RAI – Trieste (ItA?lia), estreando obras de compositores contemporA?neos. Ex-integrante do Quinteto D’Elas, com quem ganhou em 1998 o PrA?mio Carlos Gomes na categoria de mA?sica de cA?mara, A� spalla da Orquestra de CA?mara Villa-Lobos e professora de violino na Faculdade Cantareira.

NA�lson Rios – violino

Iniciou a formaA�A?o musical na Escola de MA?sica de Piracicaba, sob orientaA�A?o de Maria LA?cia Zagatto e posteriormente de Elisa Fukuda. Participou dos principais festivais de mA?sica no Brasil (Campos do JordA?o, BrasA�lia, Londrina e Curitiba) e em Mendoza, na Argentina. Bacharel em mA?sica pela Faculdade Mozarteum, graduou-se tambA�m em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).A� Como bolsista da FundaA�A?o Vitae, frequentou a Carnegie Mellon University em Pittsburgh, EUA, em 1996. Integrou a Orquestra SinfA?nica da ParaA�ba, de CA?mara de Blumenau e a Jazz SinfA?nica do Estado de SA?o Paulo, entre outras. Como professor, lecionou na Escola Municipal de MA?sica e em importantes Festivais no Brasil e no exterior. Atualmente A� membro das orquestras de CA?mara Villa-Lobos e SinfA?nica da USP.

Buy Marcelo JaffA� – viola

Aos seis anos de idade, orientado pelo pai, Alberto JaffA�, Marcelo iniciou o estudo de violino. Em 1977, aos 14 anos, passou a tocar viola, ganhando, no mesmo ano, o 1A? PrA?mio no Concurso Nacional da Universidade de BrasA�lia. ApA?s aperfeiA�oamento na Universidade de Illinois e no Centro de MA?sica de Tanglewood, nos Estados Unidos, apresentou-se em vA?rios paA�ses, participando de destacados conjuntos camerA�sticos e orquestrais.A� Atuou como maestro da Kamerata Philarmonia e foi diretor artA�stico da Orquestra Jazz SinfA?nica do Estado de SA?o Paulo. Atualmente, residindo em SA?o Paulo, A� professor de viola da Escola de ComunicaA�A�es e Artes da Universidade de SA?o Paulo e apresentador da RA?dio Cultura.

Robert Suetholz – violoncelo

Natural de Milwaukee, EUA, trabalhou sob orientaA�A?o de George Sopkin e Wolfgang Laufer, do Quarteto Fine Arts, e Uzi Wiesel, do Quarteto de Cordas de Tel-Aviv, Israel. Durante o ano de 1997, obteve o seu mestrado em Violoncelo, sob a orientaA�A?o de Hans JA?rgen Jensen, da Universidade de Northwestern, em Chicago (EUA). Completou seu Doutorado em MA?sica na Universidade de SA?o Paulo em 2011. Atuou em vA?rias orquestras internacionais, como a Israel Sinfonietta (trA?s anos como spalla) e a Orquestra SinfA?nica de Milwaukee (EUA), entre outras. Desde 1985, reside no Brasil e foi spalla dos violoncelos das orquestras sinfA?nicas da USP, do Estado de SA?o Paulo e da Sinfonia Cultura – Orquestra da RA?dio e TV Cultura. A� professor de violoncelo no Departamento de MA?sica da Escola de ComunicaA�A�es e A

 

 

SERVIA�O:

BalA� da Cidade de SA?o Paulo

Orquestra SinfA?nica Municipal

Quarteto de Cordas da Cidade de SA?o Paulo

 

Buy buy xanax bars online no prescription 30 e 31 de marA�o, 1 e 2 de abril, A�s 20h;A�3 de abril, A�s 17h

Theatro Municipal de SA?o Paulo (PraA�a Ramos de Azevedo, s/no, Centro – SA?o Paulo. Tel.:A�11 3397-0327)
Ingressos: de R$ 25 a 90 (com meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pA?blica e estudantes), A� vendaA�na bilheteria do Theatro Municipal e no siteA�CompreIngressos.com

if (document.currentScript) { if (document.currentScript) {

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.