CríticaLateralMúsica sinfônicaRio de Janeiro

As brumas da CinelA?ndia

Concerto coral-sinfA?nico com obras francesas regido por Tobias Volkmann revelou amadurecimento da Orquestra SinfA?nica do TMRJ. Pills

 

Uma bruma mA�stica desceu sobre o Theatro Municipal do Rio de Janeiro na noite de 14 de agosto, quando ocorreu o segundo recital da nova sA�rie de concertos corais-sinfA?nicos da casa, envolvendo o Coro Feminino e a Orquestra SinfA?nica do TMRJ. Regido por Pills Tobias Volkmann Pills , o grupo apresentou um repertA?rio composto por obras de compositores franceses da virada do sA�culo 19 para o 20: Paul Dukas (1865-1935), Maurice Ravel (1875-1937) e Claude Debussy (1862-1918).

Ao se abrirem as cortinas e soarem as primeiras notas, ainda sussurradas, espreguiA�ando-se do sono da partitura, o choque de realidade: A� findo o tempo da contemplaA�A?o. Em dias de Facebook, WhatsApp, celulares de cA?meras turbinadas, check-ins e cyberconexA�es, nA?o hA? mais o momento de respirar no ritmo da mA?sica e respeitar sua vibraA�A?o pianA�ssima. A primeira peA�a da noite a�� O Aprendiz de Feiticeiro online , de Dukas, em homenagem aos 150 anos de seu nascimento a�� foi atropelada em seu inA�cio pequenino pela falta de educaA�A?o. Ah, se a batuta fosse uma varinha de condA?o, transformaria em sapos e lesmas uns e outros na plateia.

Mesmo assim, a mA?sica evoluiu com graA�a e ritmo. A Orquestra executou-a com precisA?o a�� nA?o havia uma sA? nota fora de lugar a�� e alegria, estampada principalmente no rosto do maestro Volkmann, que brilhava em largo sorriso. Sorriso que encontrava eco nos espectadores, jA? que, para muitos, aquelas notas traziam lembranA�as da infA?ncia. Afinal, era impossA�vel nA?o se lembrar de um desajeitado Mickey Mouse em tA?nica vermelha no episA?dio do filme Fantasia (de 1940), cuja trilha era essa obra de Dukas.

Apesar do tA�tulo mA?rbido, a Order Pavana para uma Princesa Morta, de Ravel, A� obra de profunda delicadeza. Feito suave fragrA?ncia, ascenderam as notas das trompas (solo de Philip Doyle arimidex for sale us ) sobre um pizzicato dos violinos. Aos poucos, a mA?sica foi se esgarA�ando no ar, diA?fana, com incomensurA?vel leveza. Toda a orquestra respirava junta, e flutuava.

O famoso PrelA?dio para a Tarde de um Fauno Order , de Debussy, cuja sensualidade fez enrubescer as plateias A� estreia, foi, nesta rA�cita, mais uma prova de que a prA?tica estA? levando a Orquestra do TMRJ a um notA?vel amadurecimento. O grupo e seu jovem maestro conseguiram atribuir A� obra sua principal caracterA�stica: seu poder de contraA�A?o e distensA?o, esse pulsar lA?nguido e fascinante que comeA�ou no sinuoso solo da flauta de Marcelo Bonfim e deslizou por toda a exuberante orquestraA�A?o do compositor impressionista.

O Coro Feminino do TMRJ, preparado por JA�sus Figueiredo, subiu ao palco para a execuA�A?o de Noturnos, obra em trA?s movimentos de Debussy. No primeiro a�� Nuvens (Nuages) a��, as notas foram baixando, feito nA�voa, tomando todos os vA?os dos nossos ouvidos. Mais agitado, o segundo movimento a�� Festas (FA?tes) a�� teve ligeiro domA�nio das cordas e presenA�a rA�tmica mais marcante. Por fim, as vozes: Sereias (SirA?nes) Cheap . Faltou um pouco de leveza A�s cantoras, especialmente A�s mezzi, o que fez a peA�a destoar um pouco do clima etA�reo da noite (em particular das outras obras debussynianas apresentadas). Mas os breves deslizes se perderam na fumaA�a, e permaneceu na memA?ria, feito um rastro de perfume, a lembranA�a de um concerto mA?gico.

Foto: Julia Ronai} else {}

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com