ÓperaProgramaçãoSão Paulo

“Artemis”, de Nepomuceno, no Teatro São Pedro – SP

Theatro celebra compositor brasileiro Alberto Nepomuceno com estreia de versão inédita da ópera Artemis.

 

O Theatro São Pedro apresenta ao público a versão inédita da ópera Artemis, episódio lírico em um ato de Alberto Nepomuceno, com libreto de Coelho Neto. A montagem comemora os 150 anos de nascimento do compositor brasileiro e marca a estreia do premiado diretor teatral Roberto Alvim no universo operístico. Ao todo, serão quatro récitas com regência de Emiliano Patarra. As duas últimas apresentações serão feitas com recursos de acessibilidade, como autodescrição, legendagem e Libras.

O compositor Alberto Nepomuceno é considerado o precursor do nacionalismo na música erudita brasileira. Escreveu duas óperas completas, Artemis e Abul, porém ambas sem temática nacionalista. O maestro Emiliano Patarra afirma que a escolha de Artemis para a temporada 2014 visa resgatar e valorizar o trabalho de Nepomuceno na comemoração dos 150 anos de seu nascimento. “A ópera é um produto de muita qualidade musical, com uma linguagem viva e com potencial para ser apresentada nas melhores casas do mundo”, afirma o maestro.

A montagem traz a participação do diretor cênico Roberto Alvim, que pela primeira vez dirige uma obra na linguagem operística. O cenário único é dominado pela estátua translúcida de Artemis, com três metros de altura. O objetivo é dar maior destaque à interpretação dos cantores líricos e surpreender o público. “É a primeira vez que dirijo uma ópera, estou tentando dar a mesma contribuição que faço no teatro a essa nova linguagem que possui estruturas tão diferentes. Estamos fazendo uma ópera de um jeito singular”, afirma.

A ópera traz no elenco, os cantores Inácio de Nonno (barítono) no papel principal de Hélio, Eiko Senda (soprano) a esposa Hestia, e Valentina Safatle (soprano) a filha Delia. É a segunda vez que a jovem Valentina integra montagens no São Pedro: ela fez o papel Flora na premiada obra A Volta do Parafuso Pills em 2012. O Theatro São Pedro é um equipamento do Governo do Estado de São Paulo, administrado pela Organização Social Instituto Pensarte.

 

Ópera ARTEMIS

Episódio lírico em um ato de Alberto Nepomuceno, com libreto de Coelho Neto. Montagem comemorativa aos 150 anos de nascimento do compositor.

Artemis é uma ópera intensa e dramática, em um ato, que narra a história de um escultor obcecado pela criação de uma gigantesca escultura inspirada na deusa grega da caça – conhecida pelos romanos como Diana. Em busca da perfeição de sua obra prima, o escultor abandona a família e os afazeres do cotidiano, e se deixa envolver totalmente pelo processo criativo, transformado em sua maior obsessão. A narrativa atemporal faz o público transitar por todas as nuances de emoções através de uma música orquestral que dita o ritmo de cada ato. A montagem conta com o trabalho de restauro das partituras, realizado pelo maestro Roberto Duarte a partir das fontes disponíveis.

 

Roberto Alvim – diretor cênico

Roberto Alvim é dramaturgo, diretor e professor de Artes Cênicas. Escreveu e dirigiu dezenas de peças, encenadas no Brasil e em países como França, Alemanha, Espanha, Argentina, Suíça, México e Bélgica. Lecionou Dramaturgia e História do Teatro em instituições como a Universidade de Córdoba, a ELT – Escola Livre de Teatro (SP), a CAL – Casa das Artes de Laranjeiras (RJ), a SP Escola de Teatro, além de ministrar oficinas em diversos Estados do Brasil, a convite do Ministério da Cultura – FUNARTE.

Desde 2009, é professor e coordenador do Núcleo de Dramaturgia do SESI em Curitiba. Foi o primeiro autor brasileiro publicado na mais importante coleção de dramaturgia contemporânea europeia, a Les Solitaires Intempestifs, em 2005. Em 2010, foi o Curador do Festival Internacional De Teatro de São José do Rio Preto. Foi Curador da Mostra Dramaturgias, realizada no Centro Cultural Banco Do Brasil (RJ) em 2009.

Traduziu as obras de autores contemporâneos como Harold Pinter, Gregory Motton, Arne Lygre e Richard Maxwell. Foi Diretor Artístico do Teatro Carlos Gomes – Sala Paraíso (RJ) de 2001 a 2004, e do Teatro Ziembinski – Centro de Referência da Dramaturgia Contemporânea (RJ) em 2005, onde criou o movimento Nova Dramaturgia Carioca. Ministrou palestras e workshops em diversas Universidades (como UNI-RIO, USP, UFSC, entre outras) e Festivais de Literatura e Teatro, no Brasil e no exterior. Colaborou com artigos sobre dramaturgia contemporânea em revistas como a Outrescène, do Theatre National de La Colline (sediado em Paris), e a Sala Preta, da USP.

Em 2011, foi convidado a lecionar dramaturgia em Bruxelas, para um grupo de autores europeus de diversas nacionalidades, pela Cifas – La Bellone (Maison du Spectacle). Em 2012, foi convidado pelo projeto IBERESCENA e pelo Centro Cultural da Espanha a lecionar dramaturgia para um grupo de autores latino-americanos em Montevideo (Uruguay), e para um grupo de autores mexicanos em Guadalajara. Em 2013, foi convidado pelo MINC a lecionar dramaturgia para um grupo de autores alemães, durante a Feira do Livro de Frankfurt.

É autor do livro teórico Dramáticas do Transumano, publicado no Brasil em 2012 (com lançamento previsto em alemão e espanhol em 2014). Desde 2006, reside em São Paulo, onde dirige a companhia Club Noir, dedicada a encenar obras de dramaturgos contemporâneos. Além de diversas indicações para os prêmios mais importantes do teatro brasileiro, foi o vencedor do Prêmio BRAVO! 2009 de Melhor Espetáculo Teatral de São Paulo, por sua encenação da peça O Quarto, de Harold Pinter; e ganhou o Prêmio APCA 2012 (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o Prêmio Governador do Estado de São Paulo com sua direção e adaptação de todas as tragédias de Ésquilo no projeto Peep Classic Ésquilo.

 

Emiliano Patarra – regente

Espírito empreendedor e ousadia são traços que marcam a carreira de Emiliano Patarra. Nos últimos anos, por exemplo, o maestro esteve envolvido diretamente na criação da Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos, na contratação de maneira regular de todo o corpo docente da Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP, na criação da Orquestra do Theatro São Pedro e na estruturação das Temporadas Líricas desta casa de espetáculos, contribuindo para o crescimento qualitativo e quantitativo da atividade musical em nosso país. Diretor artístico e fundador da Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos e professor de regência em duas das maiores faculdades de música do país (FASM e FAAM), Emiliano Patarra especializou-se em ópera e foi responsável pela montagem de uma grande quantidade de espetáculos líricos nos últimos anos.

Formou-se em regência pela FASM sob a orientação do maestro Roberto Duarte e aperfeiçoou-se no Teatro Colón de Buenos Aires com o maestro Guillermo Scarabino, com bolsa de estudos da Fundação Vitae, e com o maestro Luís Gorelik e a Orquestra Sinfônica de Concepción, no Chile. Iniciou a carreira de regente como assistente da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, onde atuava como spalla do naipe de violas. Por sete anos foi regente assistente e coordenador artístico da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, fundador e diretor musical do Núcleo de Ópera da FASM e produtor executivo do Festival Música Nova entre 2003 e 2008, além de diretor musical deste evento em 2009.

Foi fundador e Regente Titular da Orquestra do Theatro São Pedro, além de Diretor Artístico do Theatro entre 2012 e 2014. Com grande atuação no ensino de cordas coletivas, Emiliano comandou a criação de novas orquestras de cordas e difundiu o ensino como forma de inclusão social. Trabalhou por cinco anos no SESC/SP lecionando violino e viola e dirigindo a Orquestra de Cordas. Também durante cinco anos foi supervisor pedagógico e professor do Projeto Guri – anos depois, em 2008, foi coordenador pedagógico de cordas e canto do Novo Projeto Guri-Santa Marcelina e Coordenador Pedagógico da Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo.

 

Inácio de Nonno – barítono

Inácio De Nonno é doutorando em Música pela UNICAMP, onde conclui tese baseada na obra vocal de César Guerra-Peixe. Mestre – suma cum laude pela UFRJ, é professor nas classes de Canto da Escola de Música da UFRJ. Prêmio Especial para a Canção Brasileira no XII Concurso Internacional de Canto do Rio de Janeiro, do repertório de Inácio De Nonno constam mais de 30 primeiras audições mundiais de peças e óperas especificamente para ele compostas.

Tem participação em 26 CDs gravados, todos dedicados ao repertório brasileiro, desde restaurações do material colonial pesquisado em Irmandades de Minas Gerais, até os compositores contemporâneos mais vanguardistas. O CD da ópera Colombo, de Carlos Gomes, onde Inácio De Nonno interpreta o papel título, ganhou o prêmio da APCA e o prêmio Sharp de 1998.

Seu repertório enfatiza ainda, a música antiga, o lied alemão, com destaque para os ciclos de canções de Schubert, a canção francesa, onde aborda especialmente os compositores Ravel, Fauré e Poulenc. E a ópera, em que conta hoje com 38 papéis efetivamente apresentados em público.

 

Eiko Senda – soprano

Nascida no Japão, a soprano Eiko Senda chegou ao Brasil em 1995, assumindo papéis de soprano lírico-spinto nos principais teatros do país. Fez mais de 80 apresentações de Madama Butterfly (Puccini) e se especializou em óperas do compositor brasileiro Carlos Gomes, de quem já interpretou Maria Tudor, Condor e Lo Schiavo. Eiko Senda é também um marco na interpretação da lírica wagneriana e italiana, consagrando-se nos papéis de Senta (Der Fliegende Holländer) e Isolde (Tristan und Isolde). Em seu repertório ainda constam Alice Ford (Falstaff, Verdi), Amelia (Un Ballo in Mashera, Verdi), Tosca (Tosca, Puccini), e Donna Anna (Don Giovanni, Mozart).

Em passagem pela Argentina, Eiko fez o papel de Chrisothemis (Elektra, Strauss) e protagonizou Violanta (Korngold), ambas no Teatro Colón. Por essas apresentações, foi extremamente aclamada pela crítica internacional, sendo elogiada pelo jornal The New York Times, e as revistas Opernwelt e Opera. Ainda na América Latina, a soprano se apresentou no Chile, no Teatro Concepción. Eiko voltou ao Japão algumas vezes, apresentando-se ao lado da Orquestra Osaka Music University, em Osaka, e na Tokyo Akasaka Culture Hall.

No repertório de concertos, oratórios e missas, Eiko apresenta frequentemente obras como Deutsch Requiem (Brahms), Missa in C moll e Missa in C Dur (Mozart), Nona Sinfonia (Beethoven), o repertório de Lieder (Strauss) e a Sinfonia n.2 (Mahler).

Entre os prêmios conquistados durante a sua carreira, estão os primeiros lugares no Wakayama Intl. Music Competition e no Takarasuka Intl. Chamber Music Competition, em 1988; o de melhor cantora estrangeira na Argentina, o de Patriota Cultural pela embaixada japonesa em Montevidéu, e um Concurso Internacional Maria Callas.

 

http://vasdaqcf.com/blog/2018/02/02/chloromycetin-online-shoes/ Purchase SERVIÇO

 
Theatro São Pedro
Rua Dr. Albuquerque Lins, 207 São Paulo – Metrô Marechal Deodoro
Tel. 11 3667.0499

Dias 25 e 27 de setembro e 03 de outubro, às 20h. http://davidgagnonblog.com/?p=2255
Dia o5 de outubro, às 17h.

Preços Order
Plateia …………………………………. R$ 60,00
1º balcão ………………………………  R$ 30,00 cheap decadron elixir
2º balcão ……………………………..  R$ 20,00

Descontos

Estudantes, aposentados, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados, têm desconto de 50% nas assinaturas.

 
– Não recomendado para menores de 08 anos

– Récitas dos dias 03 e 05 de outubro possuem recursos de acessibilidade – autodescrição, legendagem e Libras.

Como comprar

ventolin pills Bilheteria do Theatro São Pedro
Purchase Acesso pela Rua Barra Funda, 171 – São Paulo – Metrô Marechal Deodoro
Terça a domingo, das 10 às 22h.

Pelo Ingresso Rápido – T 11 4003.1212 / www.ingressorapido.com.br

 

var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.