LateralProgramaçãoRio de Janeiro

Aida, A Valquíria e Billy Budd no Municipal do Rio

Programação parcial do nosso teatro. Aguardando o restante.


A edição de março da Agenda VivaMúsica! (disponível em www.vivamusica.com.br) traz um anúncio no qual o Theatro Municipal do Rio de Janeiro divulga parcialmente sua temporada 2013, a primeira sob a responsabilidade de Isaac Karabtchevsky.  Já o jornal O Globo desta sexta-feira, 1° de março, traz um anúncio parecido, no qual são acrescentadas algumas das próximas atrações do Theatro com previsão de realização entre o segundo semestre de 2013 e o ano de cialis viagra overnight delivery 2014.  Não há o detalhamento da programação do segundo semestre deste ano.

Junto com a crítica da Gala Royal Opera House, que será publicada durante o final de semana, farei uma análise da temporada anunciada.  Por ora, fiquemos com os dados divulgados até o momento pelo Theatro, acrescidos de outras informações que pude apurar:

 

Dias 1°, 2 e 3 de março

GALA ROYAL OPERA HOUSE

Espetáculo que reúne os primeiros bailarinos do Royal Ballet, de Londres, cantores líricos do Programa Jette Parker para Jovens Artistas e a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, sob a regência de Dominic Grier.  Dentre os bailarinos, estão os brasileiros Roberta Marquez e Thiago Soares.  Restam poucos ingressos à venda (mais detalhes em https://www.movimento.com/2013/02/royal-ballet-abre-temporada-do-municipal-rj).

 

Dias 27, 28 e 30 de março

OS NIBELUNGOS

(1ª parte: A MORTE DE SIEGFRIED)

Série Música e Imagem

Música: Gottfried Huppertz, adaptada por Frank Strobel
Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal
Regência: Silvio Viegas

Apresentação do filme do diretor alemão Fritz Lang, de 1924, com sua versão para a mesma lenda que inspirou Richard Wagner a compor a famosa tetralogia O Anel do Nibelungo.

 

Dias 20, 23, 26 e 28 de abril, e 1° de maio

AIDA

Ópera em quatro atos de Giuseppe Verdi

Regência: Isaac Karabtchevsky
Direção Cênica: Iacov Hillel
Cenários: Hélio Eichbauer
Figurinos: Raul Belém Machado
Elenco: Fiorenza Cedolins, Rubens Pelizzari, Anna Smirnova, Licio Bruno, Sávio Sperandio, Carlos Eduardo Marcos, Eliseth Gomes, entre outros.
Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

 

Dias 24, 25, 26, 28, 29, 30 e 31 de maio, e 1° e 2 de junho

O LAGO DOS CISNES

Balé com música de P. I. Tchaikovsky

Coreografia: Ylena Pankova, d’aprés Marius Petipa e Lev Ivanov
Ballet e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal

 

Dias 14, 17, 19 e 21 de julho

A VALQUÍRIA

Ópera em três atos de Richard Wagner
Produção proveniente do Theatro Municipal de São Paulo (2011)

Regência: Luiz Fernando Malheiro
Direção Cênica: André Heller-Lopes
Cenários: Renato Theobaldo
Figurinos: Marcelo Marques
Elenco: Eliane Coelho, Zvetan Michailov, Eiko Senda, Denise de Freitas, Daniella Carvalho, entre outros.
Coro e a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

 

Agosto de 2013

A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA

Balé de Vaslav Nijinski
Música: Igor Stravinsky

 

Novembro de 2013

BILLY BUDD

Ópera de Benjamim Britten

 

Abril de 2014

WOZZECK

Ópera de Alban Berg


Agosto de 2014

CAPRICCIO

Ópera de Richard Strauss


Outubro de 2014

NOTRE-DAME DE PARIS

Balé de Roland Petit
Música: Maurice Jarre

if (document.currentScript) {

6 Comments

  1. Caro Leonardo, estou apreensivo com o segundo semestre, mas deixemos de lado este temor e vamos falar sobre o que interessa. Ano passado não foi realizada a La Traviata que, segundo comunicado do próprio Municipal, estaria automaticamente transferida para a temporada de 2013. Onde está essa ópera na divulgada programação? E o balé Notre-dame de Paris é outro que estaria automaticamente na temporada atual, agora será em 2014?

    Se for possível, comente e se alguém tiver essa informação ou tenha acesso a alguém que possa, por favor compartilhe.

  2. O Theatro Municipal peca em não manter um Diretor-Presidente na direção da FTM. Ademais, o público foi notificado de que haveria uma exibiçãO da
    ópera “LA TRAVIATA”, DE VERDI, O QUE NÃO ACONTECEU. Agora, anunciam uma “Aida” e “Walquiria”. Dizem que os bilhetes já estão à venda. É preciso que o Municipal cumpra com exatidão o prometido. Pelo visto os preços estão demasiados salgados. Se a ópera é cultura, deve cobrar um preço à altura da população. Use-se a Lei Rouanet conforme é usada nos espetáculos em Brasília. Em qualque parte do mundo, um Diretor de Ópera é obrigatóriamente um maestro ou músico experiente. Aguardemos.

  3. Caro Alexandre, também estou apreensivo quanto ao segundo semestre, como você pode observar na análise da temporada que fiz logo abaixo da crítica sobre a Gala Royal Opera House (https://www.movimento.com/2013/03/excelentes-bailarinos-e-mezzo-se-destacaram-na-gala-royal-opera-house).

    Sobre a Traviata, até onde sei, o Municipal preferiu deixá-la para 2014, embora ela não tenha sido anunciada para o ano que vem, ao contrário de Wozzeck e Capriccio. O motivo pelo qual a Traviata teria ficado para 2014 é que o Theatro resolveu aproveitar o ano Verdi para montar uma ópera mais complexa do compositor (sobretudo em termos cênicos). Se esta montagem será boa ou não, só saberemos no mês que vem.

    Particularmente, não vejo problema do adiamento da Traviata para 2014, para que tenhamos Aida este ano, desde que a primeira seja realmente montada ano que vem. Pelo menos assim o Theatro não repete o que inicialmente faria no ano passado, antes do cancelamento da Traviata: montar, numa mesma temporada diminuta de três óperas, duas do mesmo compositor.

    O Municipal, até onde sei, tenta montar uma quarta ópera ainda este ano, mas vai depender se terá ou não orçamento para isso e, em princípio, não seria uma de Verdi. Acredito que a casa tenha adotado uma postura defensiva ao não divulgar a programação completa do segundo semestre para não passar novamente pelo constrangimento de ter que cancelar espetáculos divulgados, como em 2008 (Cenerentola), 2010 (Tosca e Barba Azul) e 2012 (Traviata e Notre-Dame). A propósito, não faço ideia porque o Notre-Dame foi adiado mais uma vez. Coisas do Municipal…

    Sr. Guy, o Municipal tem dois maestros experientes em sua administração artística: Isaac Karabtchevsky (que chegou este ano) e Silvio Viegas, que é o regente titular da OSTM e foi diretor artístico interino por cerca de um ano e meio. O talento e o potencial dos dois é inegável.

    Há outros problemas, sem dúvida, mas o principal, para mim, é verba, orçamento. A programação artística do Municipal, até prova em contrário, não é prioridade do Governo do Estado. Por isso, devemos continuar cobrando, sempre.

    Obrigado a ambos pelos comentários.

  4. E “La Traviata”, prometida em 2012, transferida para 2013; e agora?
    Simplesmente não se fala mais no assunto ? Isso porque se trata do ano Verdi ( bicentenário de nascimento ) já imaginou se não fosse ?

  5. E a Sagração da Primavera? Primeiro seria o balé em agosto, com coreografia do Nijiinski, agora consta no site do TM que será apenas o concerto – não mais em agosto, mas em novembro. Triste notícia… estava ansioso pelo balé com coreografia original. O Teatro Municipal de SP anuncia em seu site a apresentação do balé com coreografia de Luiz Arrieta.

  6. Prezado Paulo, você deve ter visto no site do Municipal um concerto da temporada da Orquestra Petrobras Sinfônica, que tocará a peça este ano. O Municipal somente divulgou sua temporada detalhada até julho. O que vem a partir de agosto ainda será divuldago oficialmente.

    No entanto, informações de bastidores dão conta que a Sagração seria em outubro, e não em agosto. Mas não adianta especular, o jeito é esperarmos a divulgação oficial.

    Obrigado por seu comentário.

Leave a Response

Leonardo Marques
Formado em Letras com pós-graduação em Língua Italiana. Frequentador assíduo de concertos e óperas. Participou de cursos particulares sobre ópera. E-mail: leonardo@movimento.com