Artigo

Acordes periféricos

Matéria de Mauro Ventura sobre o new ed hardy cologne Projeto Estrada Cultural, na favela da Maré.

Flauta na Maré

Hoje, saiu uma matéria que fiz sobre o belíssimo trabalho das orquestras sociais, que se multiplicam pelo país, transformam a vida de jovens carentes, ganham qualidade artística e abrem um novo mercado de trabalho. Ouvi mais de 20 pessoas e muita coisa boa ficou de fora. Entre elas, uma entrevista com o maestro Carlos Eduardo Prazeres, que criou o projeto Estrada Cultural, no Complexo da Maré.

A estrela do projeto é a Orquestra Maré do Amanhã, com 80 integrantes, que se apresenta terça no Clube de Regatas do Flamengo. Carlos Eduardo é filho do maestro Armando Prazeres, criador da Orquestra Petrobras Sinfônica, assassinado em 1999.

– O carro dele foi encontrado aqui na Maré. A polícia acha que o assassino era daqui – diz Carlos Eduardo.

Mas, em vez de buscar vingança, ele procurou fazer com que outros jovens não seguissem o caminho do crime. A decisão não foi fácil.

– Meu pai morreu em 1999 e só criei o projeto em 2008. Tive muitas crises, quis muito saber quem foi o bandido, mas meu pai sempre lutou para levar a música para o povo, queria que ela formasse jovens. Tenho essa dívida com ele. E tinha que ser na Maré para tapar o buraco que ficou com a morte dele.

Armando acreditava no poder transformador da música. Certa vez, foi assaltado perto do Sambódromo. O ladrão, armado, levou o carro e tudo que ele carregava. Armando disse: “Sai dessa vida. Toma um ingresso e vai assistir ao meu concerto.”

– Ele jurava que o cara esteve lá, mas isso eu já não sei – diz, com bom humor, Carlos Eduardo.

O mérito de Carlos Eduardo é ainda maior porque o Complexo da Maré não está pacificado. Mas há um respeito pelo Estrada Cultural. O projeto funciona dentro de um contêiner refrigerado que fica num Ciep. A escola já foi assaltada sete vezes, só este ano.

– E ninguém tocou no contêiner – comemora o maestro.

http://oglobo.globo.com/cultura/orquestras-sociais-se-multiplicam-no-brasil-mudando-destino-de-jovens-carentes-5787491 } else {} else {

2 Comments

  1. Caro Carlos Eduardo, não o conheço, nem entendo de Música Erudita. Trabalho na FUNARTE e não pude deixar de me emocionar com seu depoimento/atitude. Seu pai, com certeza, está orgulhoso de você.
    Meus sinceros parabéns e saiba que precisamos de pessoas como você e seu pai.
    Um grande abraço.

  2. Peço que Carlos Eduardo entre em contato comigo porque tenho partituras com arranjos do maestro Armando Prazeres. Ficaram com minnha tia que é pianista e foi amiga do maestro ; trabalharam juntos por muitos anos! Seu nome é Sofia de Almeida e hoje está com 86 anos. Encontra-se doente e me pediu que entrasse em contato para entregar as tais partituras. Por favor, responda a esse email Grata pela atenção, Angela.

Comments are closed.

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.