LateralNotícia

Acervo Digital Chiquinha Gonzaga

Mais do que um tributo, trata-se de um resgate da história e da obra, dessa que talvez seja a compositora mais importante da música brasileira.

Francisca Edwiges Neves Gonzaga nasceu em 17 de outubro de 1847, no Rio de Janeiro. Em outubro de 2011, pela primeira vez, o público e toda a comunidade da música no Brasil e no mundo vai ter acesso a  mais de 300 partituras revisadas e digitalizadas, disponibilizadas no site www.chiquinhagonzaga.com.br dedicado à obra de Chiquinha Gonzaga.

Idealizado pelos pianistas Alexandre Dias e Wandrei Braga, o Acervo Digital Chiquinha Gonzaga abriga a obra fundamental de Chiquinha Gonzaga para piano solo, e canto e piano e outras formações. Chiquinha está entre os compositores mais prolíficos de seu tempo. Há ainda centenas de músicas, compostas para peças teatrais, que provavelmente serão contempladas num desdobramento do projeto.

O lançamento oficial do site será no dia 18 de outubro, no Instituto Moreira Salles, para a imprensa e convidados, com direito a um recital apresentado por Wandrei e Alexandre ao piano, executando músicas clássicas e inéditas de Chiquinha.

Alexandre e Wandrei se inspiraram num projeto similar que gerou o site dedicado à vida e à obra de Ernesto Nazareth, e que também foi patrocinado pelo Natura Musical. Assim como o site de Nazareth, o www.chiquinhagonzaga.com.br kamagra oral jelly walgreens terá acesso gratuito para qualquer pessoa no mundo.

O projeto conta ainda com recitais de lançamento no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo e oficinas com arranjos criados especialmente para a Coleção Alma Brasileira em parceria com a Escola Portátil de Música, além de uma apresentação em torno desse repertório com os professores e alunos da EPM.

 

A PESQUISA

Alexandre Dias e Wandrei Braga

A partir de uma lista elaborada pela biógrafa de Chiquinha, a escritora Edinha Diniz, foi feito um catálogo atualizado das obras da compositora. As alterações em relação ao catálogo que existia até então foram muitas e envolvem desde as “músicas sinônimas”, ou seja, músicas que embora possuam títulos diferentes têm o mesmo conteúdo musical, fato comum e recorrente na obra de Chiquinha, até partituras totalmente inéditas, de músicas jamais publicadas ou gravadas.

Durante mais de três anos, Alexandre e Wandrei garimparam partituras em diversas fontes, como admiradores, pesquisadores, acervos de bibliotecas e colecionadores. O resultado foi um salto considerável, de aproximadamente 12 músicas (ínfimos 5%) que estavam disponíveis comercialmente, para mais de 300 partituras, quase 100% da obra de Chiquinha à disposição gratuitamente (com exceção das músicas que compõem a integral para as peças teatrais).

Pode-se constatar a versatilidade de Chiquinha pela variedade de ritmos e gêneros presentes em seu trabalho. São choros, valsas, tangos brasileiros, canções, polcas, fados, habaneras, romances, duetos, baladas, marchas, peças sacras, serenatas, barcarolas, modinhas, gavotas, mazurcas e dobrados.

Cada música será disponibilizada em sua versão original e versão cifrada, para contemplar músicos de todas as esferas, acompanhadas de notas informativas escritas pela biógrafa de Chiquinha, Edinha Diniz exclusivamente para o Acervo Digital. Além disso, também vão estar no site todas as letras das canções de Chiquinha Gonzaga, nunca antes publicadas.

Inicialmente, as partituras foram transcritas para um programa de editoração musical. Depois disso, cada uma delas passou por uma revisão minuciosa com base nos manuscritos originais e primeiras edições pesquisadas no Instituto Moreila Salles, parceiro e atual detentor do acervo. Edinha Diniz, outra parceira do projeto, criou notas exclusivas para descrever cada uma das peças, além de um texto biográfico redigido especialmente para o site.

Para finalizar, todo esse material recebeu um tratamento da equipe de design que elaborou o projeto visual que inclui capa e contracapa personalizadas para cada uma das composições.

 

EVENTOS E PARCERIAS

Estão previstos recitais abertos ao público, com os coordenadores do projeto, Alexandre Dias e Wandrei Braga, que acontecem nos meses de outubro  e novembro no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo. Além dos recitais, também estão previstas Oficinas no Rio em parceria com a Escola Portátil de Música, num mês dedicado a Chiquinha Gonzaga. A escola vai realizar quatro oficinas de diversos instrumentos, para cerca de seus 900 alunos, que vão trabalhar exclusivamente músicas da compositora. Nos dias 15 e 22 de outubro, dois sábados, serão apresentados ao público os resultados dessas oficinas, com entrada franca. Além disso, no dia 17 de outubro, aniversário de Chiquinha, professores da EPM farão uma apresentação na comunidade do Pavão-Pavãozinho, com arranjos especialmente feitos para a ocasião.

 

Chiquinha Gonzaga

Chiquinha Gonzaga

Chiquinha Gonzaga era compositora, instrumentista e regente. Maior personalidade feminina da história da música popular brasileira, primeira maestrina, autora da primeira canção carnavalesca, primeira pianista de choro, introdutora da música popular nos salões elegantes, fundadora da primeira sociedade protetora dos direitos autorais.

Aos 11 anos, compôs sua primeira música, uma cantiga de Natal: Canção dos Pastores. Casou-se aos 16 anos, com um oficial da Marinha Mercante escolhido por seus pais, que abandonou poucos anos depois por um engenheiro de estradas de ferro, de quem também logo se separou. Passou a sobreviver como professora de piano. A convite do famoso flautista Joaquim Antônio da Silva Callado (1848-1880), passou a integrar o Choro Carioca como pianista, tocar em festas e frequentar o ambiente artístico da época. A estreia como compositora foi em 1877, com a polca Atraente.

Sua vontade de musicar para teatro levou-a a escrever partitura para um libreto de Artur Azevedo, Viagem ao Parnaso. A peça foi recusada, assim como outras tentativas também fracassaram, até que em 1885 musicou a opereta de costumes A Corte na Roça, encenada no Teatro Príncipe Imperial. Em 1889, promoveu e regeu, no Teatro São Pedro de Alcântara, um concerto de violões, instrumento então estigmatizado. Foi uma ativa participante do movimento pela abolição da escravatura, vendendo suas partituras para angariar fundos para a Confederação Libertadora. Com o dinheiro arrecadado na venda de suas músicas comprou a alforria de José Flauta, um escravo músico.

Chiquinha Gonzaga também participou da campanha republicana e de outras grandes causas sociais do seu tempo. Já era uma artista consagrada quando compôs, em 1899, a primeira marcha-rancho, Ó Abre Alas, verdadeiro hino do carnaval brasileiro. Na primeira década deste século esteve algumas vezes na Europa, fixando residência em Lisboa por três anos.

De volta ao Brasil, deu uma contribuição decisiva ao teatro popular ao musicar, em 1912, a burleta de costumes cariocas Forrobodó, seu maior sucesso teatral. Em 1914, seu tango Corta-Jaca foi executado pela primeira-dama do país, Nair de Teffé, em recepção oficial no Palácio do Catete, causando escândalo político. Em setembro de 1917, após anos de campanha, liderou a fundação da SBAT, sociedade pioneira na arrecadação e proteção dos direitos autorais.

Aos 85 anos de idade escreveu a última partitura, Maria, com libreto de Viriato Corrêa. Chiquinha Gonzaga faleceu aos 87 anos de idade, no dia 28 de fevereiro de 1935, no Rio de Janeiro.

(trecho retirado de Chiquinha Gonzaga: uma história de vida, de Edinha Diniz)

 

PROGRAMAÇÃO DE APRESENTAÇÕES

 

Rio de Janeiro

Dias 15 e 22 de outubro, sábado, às 12h30

Bandão com alunos e professores da Escola Portátil de Música

Programa: Arranjos da Coleção Alma Brasileira de Chiquinha Gonzaga

UNIRIO – AV. Pasteur, 436 (fundos) – Urca

Entrada franca – Classificação Livre

 

– Dia 17 de outubro, segunda-feira, às 18h30

Concerto com professores da Escola Portátil de Música

Mauricio Carrilho, Paulo Aragão, Luiz Flávio Alcofra, Lucas Porto – violões
Jayme Vignoli, Luciana Rabello – cavaquinhos
Pedro Aragão, Marcílio Lopes – bandolim
Antonio Rocha (flauta), Rui Alvim (sax alto), Pedro Paes (clarinete), Denize Rodrigues (sax tenor), Aquiles Moraes (trompete), Everson Moraes (trombone), Thiago Osório (Tuba), Marcus Thadeu (percussão), Magno Júlio (percussão)

Programa: Saudades,  Tamoyo,  Angá-Catu-Rama, Tupã, Sultana, Tupiniquins, Atraente, Água do Vintém, Guayanaes,  Sonhando, Carioca, Bionne, Paraguassu, Gaúcho

Teatro Meninos de Luz
Endereço:  Rua Saint Romã, 136. Copacabana – Pavão-Pavãozinho – Tel. 2522-9524
Capacidade 400 pessoas
Entrada franca – Classificação Livre


– Dia 19 de outubro, quarta-feira, às 18h30

Recital de piano com Alexandre Dias e Wandrei Braga na Escola de Música Villa-Lobos – RJ
Chiquinha, clássica e inédita

Auditório Guerra-Peixe
Rua Ramalho Ortigão, nº 09 – Centro / Telefone: 2332-9159
Capacidade: 120 lugares
ENTRADA FRANCA – retirada de senhas na portaria a partir das 18h
Classificação Livre

 

Brasília

Recital de piano com Alexandre Dias e Wandrei Braga
Chiquinha Gonzaga, clássica e inédita
– Dia 05 de novembro de 2011, às 21h.

Clube do Choro de Brasília – Projeto Clube do Choro do Brasil
SDC bloco G Quadra 03 (entre torre de TV, o centro de convenções e o planetário)
Tel.: 3224-0599

Ingressos: R$ 20,00 inteira e  R$ 10,00 meia para estudantes e maiores de 60 anos, músicos, professores.
Bilheteria: 2ª a 6ª das 10h às 22h, Sábado a partir das 19h às 21h30. Ou através do site www.clubedochoro.com.br(Vendas pelo Ingresso.com)

Não recomendado para menores de 14 anos.
– Dia 07 de novembro de 2011, às 20h.

Teatro de Câmara Maestro Carlos Galvão  – Escola de Música de Brasília
Av. L2 Sul Quadra 602 módulo D –parte A
Tel 3901-7688
Gratuito – Classificação Livre
– Dia 11 de novembro de 2011, sexta-feira, às 19h.

Recital na LBV de Brasília
SGAS 915 – Lotes 75 e 76, Tel. 3114-1070
Gratuito – Classificação Livre

 

São Paulo

Recital de piano com Alexandre Dias e Wandrei Braga no Teatro Humboldt – SP
– Dia 30 de outubro de 2011, domingo às 11h.

Auditório Ibirapuera
Av. Pedro Alvares Cabral, s/nº – Portão 2 – Parque do Ibirapuera – Vila Mariana
Tel.: 3629-1067
Gratuito – Classificação Livre
– Dia 17 de novembro, quinta-feira, 20h30

Série Quintas Musicais – Chiquinha, clássica e inédita

Entrada franca levando 1kg de alimento não perecível
Ingressos: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia entrada
Capacidade: 420 lugares

Av. Engº Alberto Kuhlmann, 525
Tel: 5686-4055
www.humboldt.com.br

 

Equipe responsável pelo Acervo Digital Chiquinha Gonzaga

– Concepção e Direção | Alexandre DiasWandrei Braga
– Editoração de Partituras | Douglas Passoni
– Revisão de Partituras e Inserção de Cifras | Alexandre Dias
– Texto biográfico, notas sobre as composições e consultoria | Edinha Diniz
– Coordenação de Design | Wandrei Braga
– Design | Flamba
– Programação | Thiago SilvaLeonardo MacedoNeylor
– Assessoria de Comunicação | Roberta Rangel
– Produção Executiva e Administrativa | Integrar Produções Culturais

 

Sobre o Natura Musical

É o programa de apoio à cultura brasileira da Natura com foco em música. Lançado em 2005, beneficiou projetos de diferentes estágios e processos da música brasileira, patrocinando mais de 150 projetos em todas as edições de edital público e seleção direta. Ao todo, 17 estados das cinco regiões do Brasil foram contemplados e mais de 600 mil pessoas beneficiadas.

O projeto Acervo Digital Chiquinha Gonzaga foi selecionado no Edital Nacional 2010. Nesta edição, foram contemplados também a cantora Karina Buhr para a gravação de seu segundo CD e shows de lançamento, a Orkestra Rumpilezz do maestro Letieres Leite e o filme longa-metragem “Dominguinhos Volta e Meia”.

Outros patrocinados até aqui, destacam-se também os CDs e turnês inéditas de Roberta Sá, Carlinhos Brown e Vanessa da Mata, Arnaldo Antunes, Lenine, Céu e Marisa Monte. Há também projetos de resgate da memória como o site biográfico Caymmi Acervo Digital e o Livro-CD Jongos do Brasil, além de projetos de gravação de CD como o Feito Pra Acabar, de Marcelo Jeneci, e ainda, o filme documentário “A Música Segundo Tom Jobim”, que será lançado ainda em 2011.

Em 2010, o Natura Musical ampliou sua atuação com o lançamento do Portal Natura Musical (www.naturamusical.com.br) e o programa de Rádio Natura Musical. Os Festivais Natura Nós e a primeira edição do Natura Musical Minas também fazem parte desta história da Natura com a música.

 

Sobre a Natura

A Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza e líder no setor de venda direta. Criada em 1969 a partir de um laboratório e uma pequena loja em São Paulo, hoje a empresa possui mais de 7 mil colaboradores e registrou no ano de 2010 receita líquida de R$ 5,1 bilhões, um crescimento de 21,1% em relação ao ano anterior. O lucro líquido foi de R$ 744,1 milhões. A Natura está presente no Brasil, Argentina, Peru, Chile, México, Colômbia e França – onde mantém uma loja e um centro-satélite de pesquisa e tecnologia. Na Bolívia, atua por meio de empresa distribuidora. Sua força de vendas é formada por mais de 1,2 milhão de consultoras, sendo mais de 1 milhão no Brasil e cerca de 200 mil no exterior.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Roberta Rangel (21) 2204-0297/ nextel (21) 7825-6477 ID 23*7722
robertarangelnewlands@gmail.com

Eleonora Jaeger (21) 9948-7991 / 2287-7174
norajaeger@superig.com.br

 

PRODUÇÃO

Ana Carolina Gomes
(21) 2547-7062/9184-9091
carol@integrar.art.brif (document.currentScript) {

5 Comments

  1. Eu amei o projeto de vocês. Sou estudante de Piano clássico e adoro a obra de Chiquinha Gonzaga e, como vocês, me apaixonei por ela quando vi sua história contada na minissérie, que aliás tenho em casa. Gostaria de saber como obter cópias de suas partituras, para poder estudar. principalmente de uma de suas composições chamada Valkíria. Desde já, muito obrigado e parabéns pela iniciativa do projeto .

  2. Parabéns pelo excelente trabalho. Curti a página no Facebook e divulguei para os meus amigos.
    Um grande abraço.
    Menezes

  3. Parabéns pelo excelente trabalho. Sou cantora lírica e assim como muitos cantores não encontro partituras com tanta facilidade e qualidade. Já imprimi algumas e divulguei para meus amigos.

    Parabéns mais uma vez

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.