CantoLateralProgramaçãoSão Paulo

“Grandes Vozes” apresenta María Bayo

A Orquestra do Theatro São Pedro recebe a soprano espanhola María Bayo, em duas apresentações.

SERVIÇO

 

Teatro São Pedro
Rua Barra Funda, 171
Fone: 11 3667 0499

Dia  16.09, às 20:30h. e dia 18.09, às 17h.

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)

Vendas na bilheteria do Theatro e no Ingresso rápido (www.ingressorapido.com.br)

 

 

A Orquestra do Theatro São Pedro sobe ao palco para concerto com a soprano espanhola Maria Bayo, uma das solistas mais respeitadas da cena internacional, sob regência do maestro Roberto Duarte, para a execução de trechos de óperas de Wolfgang Amadeus Mozart e Georg Friedrich Händel.

O concerto faz parte da série A Arte do Canto, com apresentações dedicadas ao canto lírico. A realização é do Governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, com produção da APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte, em parceria com a Cia Ópera.

É a primeira vez que fazemos Mozart e Händel. Diversificamos o repertório, apresentando óperas de dois importantes compositores dos períodos clássico e barroco. A voz é da soprano María Bayo, grande intérprete de Händel e Mozart” buy imitrex without prescription , afirma o maestro Roberto Duarte.

No programa estão óperas como Bodas de Fígaro, Don Giovanni e Idomeneo, de Mozart, além de Alessandro, Alcina,   Giulio Cesare e Rinaldo, de Händel.

 

María Bayo

María Bayo

Reconhecida por uma impecável dicção e técnica vocal, María Bayo se apresenta com frequência em teatros como alla Scala, de Milão, o Liceu de Barcelona, Real, em Madri,  Ópera de Viena, Ópera de Paris, Metropolitan, em New York, Ópera de Berlim e Colón, em Buenos Aires. Seu repertório e discografia são extensos. Inclui Zarzuelas como Donã Francisquita, La Verbena de la Paloma e La Tabernera Del Puerto. As principais óperas de Mozart como As Bodas de Fígaro, Don Giovanni e A Flauta Mágica estão em seu repertório. É referência em todo o repertório barroco de Händel a Cavalli.

 

 

Roberto Duarte

Roberto Duarte

Natural do Rio de Janeiro, Duarte atua como regente no Brasil, Europa e Estados Unidos. Desenvolve um trabalho permanente de divulgação da música brasileira e é responsável por mais de uma centena de primeiras audições e pela revisão da obra orquestral de Villa-Lobos. Recebeu, da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), o prêmio de Melhor Regente em 1994 e 1997. Também foi laureado pelo Governo Brasileiro, por meio da Funarte, com o Prêmio Nacional da Música, na categoria regente.

Em 2001, recebeu o Prêmio Carlos Gomes pela atuação no campo da ópera, como regente e revisor. Foi discípulo e assistente de Francisco Mignone e Eleazar de Carvalho, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro durante 27 anos, fez masterclasses em vários estados brasileiros e em outros países como Chile, Grécia, Suíça e Itália. Atuou como regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da Orquestra Sinfônica do Paraná e como diretor musical e regente titular da Orquestra Unisinos, no Rio Grande do Sul.

Também foi Conselheiro de Estado na área da Cultura no estado do Rio de Janeiro. É membro e vice-presidente da Academia Brasileira de Música. No final de 2009, lançou o seu livro “Villa-Lobos errou?” (Subsídios para uma revisão musicológica em Villa-Lobos) em português, inglês e francês pela Algol Editora, São Paulo.

 

PROGRAMA

G. F. Händel
Alessandro – Abertura
Ária de Rossane: Dica il falso, dica il vero
Alcina – Ária de Morgana: Tornami a vagheggiar
Giulio Cesare – Piangerò la sorte mia
Rinaldo – Lascia ch´io pianga

W. A. Mozart
Idomeneo – Abertura
Ária de Ilia: Solitudini amiche…Zeffiretti lusinghieri
Bodas de Fígaro – Abertura
E Susanna non vien… Dove sono…
Don Giovanni – Abertura
In qual eccessi… Mi tradi…

 } else {if (document.currentScript) {

2 Comments

  1. Estive ontem à noite no teatro, minha mãe mora ao lado e cuido de sua saúde. Na noite em que estive na bilheteria, conheci o Curador da ópera ou de seu programa, o Sr. Paulo Abrão Esper. Adquiri um ingresso, foi uma experiência fantástica. Pretendo colaborar em minha área com todas as expectativas do teatro doravante. No espetáculo, a artista solista e a formidável orquestra foram únicos!

  2. Belíssimo o espetáculo do dia 16. Repertório adequado aos recursos vocais da cantora, cuja voz não mostra sinais de desgaste. Boa projeção, coloratura límpida, agudos e sobreagudos muito bem emitidos e afinados. Excelente presença cênica. Orquestra de bom nível técnico, destaque para o trio de oboés e fagote na abertura da ópera “Alessandro”. Regência impecável, idiomática. Pena que a casa não estivesse cheia: um teatro tão simpático e artistas tão valorosos mereciam um público maior do que aquele de sexta à noite.

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.