CantoLateralMovimentoNotíciaTecnologia

Concerto internacional de canto: “Um programa especial”

Para a maioria das pessoas, a tragédia da Covid 19 trouxe problemas sérios… muito sérios. Uma classe que ficou muito, mas muito prejudicada mesmo foi a classe artística, uma vez que uma das primeiras providências de qualquer governante, foi fechar os teatros. Tanto artistas de música, quanto artistas de teatro. Está sendo uma catástrofe…

O pessoal de ópera sofreu ainda mais, pois o número de espetáculos já não é de encher os olhos. Justamente para não ficarem nessa dependência de teatro, impôs-se a criatividade e esses 3 artistas resolveram fazer um show, retransmitido pela internet, como não podia deixar de ser: Carlos Seise, tenor portoriquenho, Luiz-Ottávio Faria, baixo brasileiro e Olga Bakali, soprano e pianista grega.

Além das redes sociais, eles pretendem levar o show a San Juan, New Jersey, Connecticut, New York e onde quer que haja uma possibilidade. Os convites estão acontecendo e, certamente, os shows não vão parar por aí.  Esses concertos terão Streaming.

 

PROGRAMA

Olga Bakali acompanhando ao piano.

Charles Gounod
Faust Duet
Mais ce Dieu, que pentil pou moi?

Carlos Seise e Luiz-Ottávio Faria

Giacomo Puccini
E lucevan le stelle (da ópera Tosca)
Carlos Seise

Carlos Gomes
Di sposo di padre (da ópera Salvator Rosa)
Luiz-Ottávio Faria

Giuseppe Verdi
Questa o quella (da ópera Rigoletto)
Carlos Seise

Gioachinno Rossini
La calunnia (da ópera Il Barbiere di Seviglia)
Luiz-Ottávio Faria

Arrigo Boito
Mephistofile duet: Olá! Chi urla?
Il frate! Che vegg’io?

Dai campi dai prati…
Son lo spirito che nega
Carlos Seise e Luiz-Ottávio Faria

Hekel Tavares
Oração do Guerreiro
Funeral de um Rei Nagô

Luiz-Ottávio Faria

Rafael Hernandez
Capullito de Aleli
Preciosa
Carlos Seise

Jerome Kern
Old man river (de Show Boat)
Luiz-Ottávio Faria

Leonard Bernstein
Tonight (do musical West side story)
Carlos Seise

Gaetano Donizetti
Ecco il magico licore (da ópera L’elizir d’amore)
Carlos Seise e Luiz-Ottávio Faria

 

Olga Bakali  – soprano dramático e pianista

A jovem soprano dramática Olga Bakali nasceu em Atenas, Grécia, onde iniciou sua formação musical como pianista. Aos 14 anos, foi premiada em 1º. Lugar no concurso Grego “Filon” para piano.

Foi nessa época que suas habilidades vocais únicas foram descobertas e ela começou a estudar canto seriamente com Bárbara Gavakou, no Conservatório de Música Glyfada, em Atenas, onde, em 1991, recebeu o diploma com honras.

Continuou seus estudos sob orientação do famoso barítono Kostas Paskalis e Mme. Gavakou. Recebeu bolsas da comunidade europeia e participou de masterclasses no Ateneu Centro Cultural sob a tutela de artistas ilustres como Ileana Cotrubas, Jeanette Piulou, Luigi Alva e maestro Paskalis.

Foi premiada e bolsista no Concurso Mundial Francisco Viñas, em 1991, em Barcelona. Em 1994, representou a Grécia na Competição para Vozes Wagnerianas, realizada em Bayreuth. Recebeu bolsa para artistas da Fundação Fulbright em 1996.

Sua estreia em 1991, no Teatro Megaron, em Atenas, foi de uma Elektra totalmente encenada, na qual Hildegard Behrens cantou o papel título, com a Filarmônica de Dresden. Em 1993, estreou no Festival de Atenas com a Ópera Nacional da Grécia, como a Sacerdotiza de Aída, em produção que contou com Maria Dragoni e Giuseppe Giacomini.

O verão de 1999 trouxe um grande triunfo pessoal e artístico com a estreia de Olga na América do Sul. Foi convidada para substituir Aprile Millo em performance de “Lo schiavo”, do brasileiro Carlos Gomes. Cantou o papel de Ilara no Municipal do Rio, no Municipal SP e em outras cidades, incluindo Brasília, Belo Horizonte, Belém e São Luiz.

Em 2008, apresentou-se no papel de Giocasta na ópera raramente apresentada de Leoncavallo “Edipo Re”, na Opera de Thessaloniki. Também nesta mesma temporada cantou o papel de Donna Anna em Don Giovanni.

Na atual temporada, fará show com Luiz-Ottávio Faria em Atenas e também nos EUA, numa série de shows.

Mais informações, consultar: www.olgabakali.com

 

Carlos Seise – tenor

Carlos Seise nasceu para cantar. Sua carreira começou no Conservatório de Música de Porto Rico. Após completar a escola formal, continuou seus estudos com os ensinamentos inspiradores de Carmelo Savoca e Peyton Hibbit.

Desde o início de sua carreira, cantou em muitos teatros famosos na Europa, África, Ásia e nas Américas. Alguns desses teatros incluem Carnegie Hall, Grand Rex Theatre, Antonio Paoli Hall, Esperanza Iris Theatre, apenas para citar alguns.

Também esteve em instalações esportivas como Roberto Clemente Coliseum, Wizik Center, American Airlines Arena, Jose Pachencho Romero, Tetelo Vargas e Hiram Bithom.

Seise dividiu palco com outros artistas ilustres do mundo da música, como Eva Marton, Diana Soviero, Pablo Elvira, e Justino Diaz, bem como com maestros renomados, incluindo Anton Guadagno, Eugene Kohn, Roberto Abbado, Eduardo Muhler e Teo Alcantara, como com muitos outros.

Suas próximas apresentações acontecerão no Canadá, Argentina, Espanha, Porto Rico e Reino Unido.

Carlos também é embaixador da Boa Vontade das Nações \Unidas e CEO e Presidente de sua organização sem fins lucrativos Global Edducational Equipping da Argentina.

Mais informações, consultar: www.carlosseise.com

 

Luiz-Ottávio Faria – baixo

O Baixo brasileiro Luiz-Ottavio Faria, natural do Rio de Janeiro, estudou canto com professores consagrados no mundo lírico, tais como Fernando Teixeira, Nilze Mirian Vianna, Simon Estes e Benjamin Mathews.

Formado pela prestigiada ‘The Juilliard School of Music’, de Nova Iorque, também foi aluno da ‘Escola de Música Villa-Lobos’, do ‘Conservatório Brasileiro de Música’  e da ‘Universidade do Rio de Janeiro’, além de frequentar o ‘American Institute of Music Studies’, AIMS, na Áustria.

Sua estreia mundial aconteceu na ópera “Un Ballo in Maschera”, de Verdi, no papel de Tommaso, ao lado do legendário tenor Carlo Bergonzi e do grande barítono brasileiro Fernando Teixeira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com temporada estendida para o Theatro Municipal de São Paulo.  Mais tarde, Commendatore (Don Giovanni), Ramfis (Aida), Sparafucile (Rigoletto), Sarastro (Die Zauberflute), Colline (La Boheme), Banquo (Macbeth), Oroveso (Norma) Zaccaria (Nabucco) e Timur (Turandot).

Foi vencedor de diversos concursos importantes, tanto no Brasil como no exterior. Entre eles, destacam-se o prêmio no XXI Concurso Carmen Gomes (1987); o troféu Baixo Guilherme Damiano (1987); a Bolsa de Estudos para a Juilliard School of Music (1989); o Die Meistersingers- AIMS, Gratz na Áustria (1994); o Opera Index, para a The Great Buffalo Opera; o YWCA (1995); o The New Jersey State Opera; o Lola Hayes Vocal Competition (1996) e o The William Mathews Sullivan Foundation Award (1997), entre tantos mais.

Podemos registrar também o seu excelente domínio de interpretação no repertório sinfônico, que inclui o magistral “Requiem”, de Verdi, interpretado em Quebec, em New York, em Mexico City, e no Festival Cervantino de Guanaruato, México.  Também fazem parte do repertório de Faria a “Nona sinfonia”, de Beethoven (interpretada em New York), o “Requiem” de Mozart , “The Kingdom” de Edward Elgar, “Magnificat” de Bach e “Stabat Mater” de Rossini.

Em agosto de 2001, apresentou-se no Carnegie Hall de Nova Iorque no difícil papel de Marcel, na ópera “Les Huguenots”, de Mayerbeer, pelo qual mereceu a máxima consagração do público e da mídia internacional, admirado tanto pela magnífica qualidade de sua voz de baixo como por suas habilidades de ator dramático. Seu nome foi alvo de inúmeros elogios da crítica local, com destaques nas páginas de publicações como o ‘Financial Times’, entre outras. O crítico Brian Kellow, escrevendo para a prestigiada revista ‘Opera News’ sintetizou: “…o baixo Luiz-Ottavio Faria ofereceu uma poderosa e sonora rendição do personagem Marcel…”.

Mais informações, consultar: www.luizottaviofaria.com

 

Esses concertos são patrocinados por:

Centaurus Artes: centaurusartes@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Seise: www.carlosseise.com

 

 

 

 

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.